Direito autoral, capitalismo selvagem e HQ

OLá pessoal! Depois de vários dias sem postagem, volto aqui cheio de novidades. Mas, vamos com calma. Contarei as novidades aos poucos. Assim com o ano que chega, nos dando espaço e oportunidade de sonhar e rever os desejos. Felizmente, alguns já farão a viarada de 2011 para 2012 sendo realidade. Mas vamos ao tema desta postagem: Direito autoral, capitalismo selvagem e HQ.

As HQ´s estão muito mais próximas do sucesso comercial, do dinheiro do que do reconhecimento e valorização por partes de quem faz cultura, pelo menos é o que vejo aqui, na Bahia. Editais para artes gráficas? quadrinhos? Ainda não vi por aqui. Para Dança, teatro, artes plásticas.. até pra crítico de arte…. mas quadrinhos que é bom, nada. Por outro lado a grana corre solta em torno de personagens consagrados nos EUA. Mas atenção: muita grana, mercado, não significa ética e respeito a direito autoral.
Não é de hoje que empresas fazem as pessoas assinarem documentos cedendo seus direitos autorais. O que penso disso? Sou totalmente contra a cessão de direitos autorais. É importante os artistas e ou aspirantes a tal, não se deslumbrarem demais com a oportunidade de estar trabalhando pra uma grande empresa caso se depare com essa condição “abrir mão do direito autoral de um personagem criado”.
Eu poderia simplesmente copiar e colar a matéria sobre a briga pelos direitos autorais do Motoqueiro Fantasma, entre Marvel e Gary Friedrich. Adianto que depois de 4 anos de briga judicial, quem lebou a melhor foi a Marvel, pois Friedrich assinou termo abrindo mão do direito autoral quando foi funcionário da empresa. Depois percebeu o que estava perdendo e tentou correr atrás da “galinha dos ovos de ouro”. Mas foi tarde. Existe toda uma indústria, empresas, e muita grana….
EU não estou sendo contra a Marvel. Pra ser sincero, nem conheço o caso e seus detalhes, mas independente deste caso da Marvel e de qualquer outro (já aconteceram vários outros, inclusive com o personagem Super-Homem), eu acho um absurdo uma empresa pedir que uma pessoa abra mão do direito autoral.  Mas enfim, na sociedad capitalista se vende até virgindade né? Fazer o quê?
Todos que lidam com arte, seja artes gráficas, plásticas ou o “caraleo a quatro”, deve ler e se informar sobre direito autoral. Não adianta esperar criar um personagem milhonário e lucrar com isso, passangr por grandes empresas e sair ileso se não tiver informado, se não tiver consciência do valor que tem aquilo que está sendo criado por você.
Se quiser per sobre o caso judicial em torno do Motoqueiro Fantasma, veja o link: MOTOQUEIRO FANTASMA
Abraço e até a próxima.

+ Oficina HQ +
Wilton Bernardo
oficinahq@hotmail.com

Aposta dos quadrinhos

O quadrinista gaúcho Rafael Albuquerque entra para o seleto grupo de brasileiros premiados com o Eisner.

Quadrinista gaúcho Rafael Albuquerque

O Eisner Award, considerado o Oscar das HQs, contemplou neste ano o gaúcho Rafael Albuquerque, que ilustra Vampiro Americano, com roteiros de Scott Snyder e Stephen King. A obra venceu na categoria de melhor série nova. Lançada no Brasil pela editora Panini, narra os passos de Skinner Sweet e Pearl Jones, dois vampiros norte-americanos.


O brasileiro, que já desenhou para gigantes do mundo dos quadrinhos, como Marvel e DC Comics, é a estrela do Nossa Aposta de dezembro. Conheça alguns de seus trabalhos.

Fonte: Revista Bravo