Juarez Paraíso ganha na Justiça R$ 100 mil de Tati Moreno


02/06/2019

Um dia depois de empossado na Academia de Letras da Bahia (ALB) como novo imortal, o artista plástico Juarez Paraíso, 85 anos, obteve outra vitória. Provou na Justiça que a belíssima sereia que adorna o lago do entorno do Condomínio Parque Interlagos, em Areias, litoral de Camaçari, é obra dele, e não de Tati Moreno, como todo mundo lá pensa e diz.

Tati Moreno, a quem se atribui a autoria dos orixás do Dique do Tororó, sempre se disse autor da obra. Assim o fez no livro A arte de Tati Moreno em livro (texto de Claudius Portugal), lançado em outubro de 2016 e em entrevistas na tevê.

A reação — O advogado Rodrigo Moraes, especialista em direitos autorais, conta que lá um dia Juarez foi a Interlagos fotografar sua sereia quando se surpreendeu com a informação: só com autorização do autor.

– Como? O autor sou eu.

– Não. Aqui todo mundo sabe que é o Tati Moreno.

Juarez acionou a Justiça e lá provou, com fotos da construção na Escola de Belas Artes da Ufba, onde foi professor e diretor, desenhos preliminares e afins, que o autor é ele.

Anteontem, a juíza Ana Karena Nobre, da 9ª Vara Cível, condenou Tati a pagar R$ 100 mil de indenização por danos morais, a publicar três vezes em jornal de grande circulação que a escultura Iemanjá, a sereia em apreço, é obra de Juarez Paraíso, e a colocar uma placa na obra dizendo quem é o verdadeiro autor.

Pegou mal para Tati.

MAIS SOBRE JUAZEZ PARAÍSO

Foto: Gilberto Junior
30/05/2019

O artista plástico e professor Juarez Paraíso, um dos nomes mais importantes da cultura baiana contemporânea, toma posse na cadeira número 39 da Academia de Letras da Bahia (ALB) nesta quinta-feira, 30, às 20h.
Paraíso ocupará a cadeira que pertencera, como último titular, ao escritor e professor Edivaldo Boaventura, falecido em agosto de 2018

Fonte: Jornal A TARDE | Colunista: Levi Vasconcelos