Módulo 1 – TERCEIRA PARTE

Pessoal,
até chegarmos no MÓDULO 8 (o último) teremos oportunidade de fazer exercícios de criação, e o que sugiro? Vivencie cada momento de uma produção. É hora de criar o personagem? Então pesquise e crie o personagem…. não precisa querer escrever roteiro agora. Viva o momento que precisa ser vivido agora. A hora de escrever o roteiro vai chegar.

Então vamos lá! Para fazer uma História em Quadrinhos…
… é preciso realizar uma série de etapas, sozinho ou em equipe. Não basta pegar o lápis, caneta nanquim, papel e começar a desenhar.
Uma pessoa pode até produzir tudo sozinha, mas as editoras que geralmente precisam cumprir prazos, costumam contratar vários profissionais. Um ou mais, para determinada função. Veja abaixo quais são elas:

1 – Argumentista / Roteirista
Os argumentistas se responsabilizam pela ideia inicial, pela história. Podem ou não assumir o papel de roteirista, desenvolvendo a história com maiores detalhes e diálogos.

Dica: Adquira conhecimento sobre o assunto que deseja explorar. Se deseja escrever uma história com herói, bandido, aventura, ação, policial, assista filmes de ação, preste atenção nas cenas, na iluminação, nos movimentos dos personagens, angulações.
Se quer escrever uma história política, de crítica social, crítica de comportamento, preconceito, então leia jornais, assista programas jornalísticos e converse com quem você sabe que domina mais esses assuntos. Informe-se! Independente do assunto escolhido, antes de começar a desenhar, P-E-S-Q-U-I-S-E !!!!!!!! Nós não sabemos profundamente sobre todos os assuntos. Se não pesquisamos, escreveremos uma história sempre na superficialidade. A consequência disso, é que podemos não ser convincentes. Nenhuma história será boa sem ser convincente. Imagine que você inventou colocar um cientista na história. Você precisará pesquisar sobre algum cientista, sobre suas atividades, os assuntos que estão presentes no desenvolvimento de seu trabalho.

2 – Desenhista
Com o roteiro nas mãos, o desenhista cria a imagem. O desenhista pode criar e soltar a imaginação, mas deve obedecer a certas exigências que o roteirista ou editora pode fazer.
Por exemplo: O desenhista que faz histórias do Mickey recebe orientações para evitar desenha-lo de costas, pois este é seu pior ângulo. O Mickey de costas nos faz ver três bolas pretas.

3 – Letrista (Os Balões)
Com o desenho pronto é hora do letrista entrar em ação. O letrista aproveita os espaços deixados pelo desenhista para incluir os balões. Além disso ele também insere as onomatopeias. A tarefa do letrista pode ser antes ou depois da arte-final, dependendo do processo de finalização desenvolvido pelos artistas. Se o processo de finalização da história em quadrinhos for digital, por exemplo, provavelmente a inserção de letras e onomatopéias será mais adequada como última etapa.

4 – Arte-finalista (Arte-final)
Esta é a hora de dar o último toque aos desenhos. O arte-finalista reforça os contornos com traços de tinta nanquim, ora mais finos, ora mais grossos. Este é um dos momentos mais delicados na criação de um quadrinho. Em relação a colorização, a etapa de finalizar com caneta nanquim, pode também não ser a última. É preciso se estabelecer o processo de produção. Se o trabalho for totalmente manual, provavelmente o artista vai preferir colorir para depois finalizar com os toques de caneta nanquim. Porém o artista também pode não optar por utilizar caneta nanquim alguma.

5 – Colorista (A Cor)
Até aqui os desenhos e balões estão em preto & branco. Com canetas e tintas o colorista preenche os quadrinhos com cor preocupando-se em quebrar a monotonia, dar harmonia às páginas sem perder a atenção do leitor. As histórias podem ser pintadas à mão livre ou através do computador. Também pode ser uma opção, que a história em quadrinhos fique em preto e branco.
É importante ficar claro que no que diz respeito à produção artística, criação autoral, o artista não tem que seguir uma regra rígida sobre utilização de qualquer material.

Então a pergunta é: Quem define o formato? As regrinhas como o tipo de traço, número de páginas e outros detalhes cuja etapa faz parte da elaboração de uma HQ?
Se a produção é autoral, você está fazendo sua pesquisa para desenvolver sua história em quadrinhos, a decisão é sua.
Até o próximo MÓDULO!

:: Wilton Bernardo
+ Coordenador e professor da Ação Cultural Oficina HQ
+ Criativo do Estúdio e produtos da Laço Afro
+ Graduado em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia

#EstúdioLaçoAfro #OficinaHQ #CentroUniversitárioUniRuy #Wyden @MuseuCostaPinto #Quadrinhos #HQ #comics #BandaDesenhada #Desenho #arte #Pintura #roteiro #Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s