Dicas gratuitas: construção de uma HQ


Pessoal, sou Wilton Bernardo, artista visual, designer gráfico e cartunista. Sou o idealizador e um dos professores do Curso de Quadrinhos da Oficina HQ que existe e realiza atividades em Salvador-BA desde 2003 – exposições, mostras de filmes, oficinas, workshops e cursos.

Cada vez que eu abro inscrições e divulgo novo curso, muitas pessoas interessadas nesta área perguntam se precisam saber desenhar, e muitas não fazem ideia das etapas que são fundamentais para qualquer pessoas poder desenvolver uma história em Quadrinhos com planejamento, segurança e de forma organizada, ou seja, profissionalmente.
No Curso de Quadrinhos que realizo, todas as etapas importantes de construção de uma HQ serão abordadas. Mas entendendo que nem todos poderão participar, seja porque não estão em Salvador-BA, ou por qualquer outro motivo, eu resolvi compartilhar com todos que acompanham as Redes Sociais da Oficina HQ (instagram, facebook e Blog) 3 dicas super importantes, GRATUITAMENTE, que ajudarão incrivelmente a você que deseja construir Histórias em Quadrinhos cada vez melhores.

As 3 dicas escolhidas para ajudar você a construir sua HQ com mais técnica – a serem disponibilizadas no instagram, blog e facebook da Oficina HQ – são as seguintes:

1 – Recursos narrativos (Enquadramento) – disponível a partir de 25/03/19
2 – Storyline – disponível a partir de 26/03/19
3 – Arquétipo – disponível a partir de 27/03/19

Espero sinceramente poder ajudar você a desenvolver suas habilidades e enriquecer sua técnica na construção de uma história em Quadrinhos.
Abraço e até a primeira dica a ser publicada amanhã!

# Wilton Bernardo
Cartunista, designer gráfico, artista visual
Gestor do curso de Quadrinhos Oficina HQ, da marca Laço Afro e do estúdio ilê401
http://www.wiltonbernardo.com

Laço Afro na Casa Boqueirão

Feiras, exposições individuais, coletivas, stands em colégios, faculdade, lojas virtuais, os caminhos para o pequeno empreendedor que produz arte, artesanato, moda, são variados. Eu, Wilton Bernardo venho transitando em áreas variadas, mas que se correlacionam. Assim faço dessa transição a identidade dessa produção. Eu diria que é sim, no meu caso, ou melhor, no caso da minha marca Laço Afro. Desde 16 de dezembro de 2007 tenho assinado com essa marca a mistura de produtos que poderiam ser separadamente etiquetados de artesanato, outros de design e outros de moda. Isso sem falar nas ilustrações em grafite ou digitais que transitam em galerias de artes. Tudo isso, dentro de um contexto temático que valoriza e reflete a cultura afro-brasileira: LAÇO AFRO – mais que moda, celebração; mais que atitude afirmação.

LAÇO AFRO EM LOJA COLABORATIVA
Circulei e experimentei várias formas de divulgar e comercializar o meu trabalho, e a atual experimentação acontece dentro da loja colaborativa Casa Boqueirão. Faz tempo que venho namorando a idéia de uma loja colaborativa, desde a experiência que tive vivenciando a experiência de compartilhar a loja Espaço Ímpar com outros criativos.
Entre São Paulo e Salvador, conheci algumas lojas, e fui tentando encontrar alguma que houvesse identificação.Salvador, abraçou recentemente a idéia colaborativa e definitivamente isso é muito bom! Essa movimentação, parcerias tem um saldo super positivo. E é assim que a Laço Afro dá mais um passo vislumbrando divulgar, ser mais vista e acessível.
Desde o dia 8 de novembro de 2018, a marca que eu tanto amo e que faz cada vez mais sentido pra mim, se une a diversas outras marcas muito legais como Preta Brasil, Yosh, entre várias outras.

CASA BOQUEIRÃO
O artista visual Alfredo gama e a arquiteta Tânia Povoa, responsáveis pela loja colaborativa Casa Boqueirão são super receptivos e atenciosos. Isso faz a diferença em qualquer ambiente, não apenas para o consumidor. Assim, eu realmente me senti privilegiado fazer parte do grupo de pessoas super talentosas que ocupam cada espaço da Casa Boqueirão.

SERVIÇO
O QUÊ? A marca Laço Afro na loja colaborativa Casa Boqueirão
QUANDO? Desde 8/11/2018
FUNCIONAMENTO? Das 14 às 20h, de quarta a domingo
ENDEREÇO? Rua direita do Santo Antônio, 56, Boqueirão, CEP 40.301-280, Salvador-BA
INSTAGRAM? @lacoafro e @casaboqueirao

* Wilton Bernardo ( http://www.wiltonbernardo) é o criativo da Laço Afro
Instagram: @lacoafro e @wilton_bernardo
#moda #artesanato #arte #cultura #CulturaAfro #orixás #Iemanjá #Yemanjá #iansã #iansa #oxala #oxóssi #oxum #logumede #ogum #Oba #oxumare #Ossain #Oxaguian #xango #xangô

Grupo de teatro baiano realiza encontro internacional sobre Antonin Artaud

antonin-artaud

Antonin Artaud foi um dos mais influentes e contestadores artistas do século XX. Suas inquietações o levaram a ser multiplo: poeta, ator, escritor, dramaturgo, roteirista e diretor teatral, escreveu vários ensaios sobre pintura, cinema e teatro. Suas idéias ainda influenciam muitos artistas de hoje, e foi o que aconteceu com o Núcleo Viansatã de Teatro Ritual, um grupo de teatro baiano que a sete anos faz pesquisa cênica e produções artísticas inspirados por Artaud.

Com o objetivo de dividir suas pesquisas e as de outros artistas/pesquisadores sobre Artaud, o Viansatã realiza de 15 a 19 de outubro o II Encontro Fronteira Sa[n]grada: Artaud e o seu Duplo, que contará com mesas de discussão sobre o tema, apresentações de espetáculos, painel performático, oficinas de teatro e lançamento de livros. O ator-pesquisador do Viansatã, Jones Mota, explica que o Fronteira brotou da vontade de conhecer as diversas leituras de Artaud feitas por artistas latino-americanos e de possibilitar o diálogo entre eles. “A nossa perspectiva neste Encontro, que é um dos poucos voltado para pesquisas brasileiras influenciadas por Artonin Ataud, é ampliar o compartilhamento dos estudos teórico-práticos em artes cênicas sobre Artaud e seu duplo”, pontua.

ii-encontro-fronteira-sangrada

Para Artaud o duplo do Teatro era a Vida, sendo aspectos inseparáveis. Tudo o que era vivido por um ator poderia ser tão extraordinário que seria, sob o ângulo certo, mais potente que a própria vida. Tal visão, profundamente radical e desafiadora, contagiou o teatro ocidental e mudou sua história. Para explorar os diversos aspectos dessa figura marcante, o II Encontro Fronteira Sa[n]grada: Artaud e o seu Duplo reuniu um grupo fenomenal de pesquisadores e artistas, vindos de Brasília, São Paulo, Colômbia, Alemanha além de contar com importantes figuras baianas. O evento é gratuito.

Para saber mais sobre o Fronteira Sa[n]grada e conferir a programação, vale dar uma olhada no site: http://www.viansata.com/fronteira/ E para conhecer melhor o Núcleo Viansatã de Teatro Ritual: http://www.viansata.com/

Serviço
O quê? II Encontro Fronteira Sa[n]grada: Artaud e o seu Duplo
Quando? 15 a 19 de outubro de 2016
Onde? Saladearte Cinema do Museu (Av. 7 de Setembro, 2195, Corredor da Vitória, Museu Geológico); Bouche de L’Enfer (Largo do Cruzeiro de São Francisco, 21, Pelourinho); Escola de Teatro da UFBA (Av. Araújo Pinho, Canela)
Entrada? Franca

3º Festival Internacional de Humor do Rio de Janeiro

Exposições, concursos e oficinas mostrarão o melhor do humor gráfico nacional e internacional

 De 10 de agosto a 25 de setembro, charges, cartuns e caricaturas vão tornar a cidade mais alegre. O 3º Festival Internacional de Humor do Rio de Janeiro levará ao Museu Nacional de Belas Artes três exposições e realizará o Concurso Nacional de Desenho de Humor, além de promover oficinas de desenho, comandadas pelo cartunista Amorim. Dirigido por Eliana Caruso e com curadoria de Ângela Porto, o festival chega à sua terceira edição com patrocínio da Oi, Petrobras, Governo do Estado do Rio de Janeiro, apoio da TAP e apoio cultural do Oi Futuro.

 Esta edição estará totalmente voltada ao desenho de humor. A organização do evento vai dar exclusividade ao humor gráfico, que sempre foi o carro-chefe do Festival. “Apesar de o Rio de Janeiro ser o celeiro de grandes desenhistas do gênero, o Festival é o único evento na cidade que mostra o trabalho atual deles e também traça a evolução do desenho de humor no Brasil, por meio de seus principais expoentes”, afirma Eliana Caruso. É uma oportunidade para o público conhecer de perto o trabalho do artista.

 A exposição World Press Cartoon Premios 2011, vinda de Portugal, traz os 27 premiados e menções honrosas do Concurso Internacional Press Cartoon 2011. É a primeira vez que o material original do evento vem ao Brasil. O cartunista português Antonio Antunes é o diretor do World Press Cartoon, principal evento na área de humor que ocorre na Europa

 Já a exposição Traçando o Brasil: três séculos de desenho de humor vai contar um pouco da história do humor gráfico com a ajuda de desenhos já publicados durante os séculos XIX, XX e XXI. Considerada a primeira caricatura publicada no Brasil, “A campainha e o cujo”, de Araújo Porto Alegre, estará entre as obras expostas. Até um desenho de Di Cavalcanti poderá ser visto pelo público.

 Coordenado pelo cartunista Amorim, o Prêmio Nacional de Desenho de Humor 2011, que vai escolher o melhor desenho de cartun, charge e caricatura. Um júri composto por Amorim, Chico Caruso, Jaguar, Nanni e Hippert será encarregado de selecionar as dez melhores obras em cada modalidade entre as quase 600 inscritas. Elas ficarão expostas durante o evento, na exposição Prêmio Desenho de Humor. O vencedor de cada categoria ganha um prêmio de $ 6 mil.

 Amorim também estará à frente das Oficinas de Desenho, que acontecerão todas as sextas-feiras, ao longo do evento, para turmas entre 10 e 15 anos e outra a partir de 16. As aulas, com três horas de duração, serão dividas em três fases: conceituação do humor gráfico, realização de cartum, charge e tira e, por último, a avaliação do trabalho. Quem quiser participar não precisa ter qualquer conhecimento sobre o tema, apenas curiosidade em aprender. Para se inscrever no curso, basta ligar para o Museu Nacional de Belas Artes, pelo telefone 2219-8474 (ramal 23), e se cadastrar. Escolas que queiram levar seus alunos para participar do projeto, também podem entrar em contato.

 SERVIÇO:
3º Festival Internacional de Humor do Rio de Janeiro
Data: 10 de agosto a 25 de setembro
Ingressos: R$ 5,00 e meia: R$ 2,00. Grátis aos domingos.
Local: Museu Nacional de Belas Artes (MNBA)
Endereço: Avenida Rio Branco, 46 – Centro.
Telefone: 2233-1209
Funcionamento: Terça a sexta-feira, das 10h às 18h;
Sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h.
Classificação etária: Livre
www.festivalinternacionaldehumor.net

ASSESSORIA DE IMPRENSA:
RPM Comunicação
www.rpmcom.com.br
Érica Avelar – erica@rpmcom.com.br – (21) 3478-7437 / 8272-2337
Renata van Boekel – renata@rpmcom.com.br – (21) 3478-7406 / 8018-9977
Mariana Machado – marianamachado@rpmcom.com.br – (21) 3478-7410 / 8127-6356

Homem-Aranha após a morte

Homem-Aranha negro, na nova série 'Ultimate' (Foto: Marvel Comics/AP)

“Quando apareceu a oportunidade de criar um novo Homem-Aranha, sabíamos que tinha que ser um personagem que representasse a diversidade, tanto pela origem como pela experiência, do século XXI”, disse em comunicado o editor-chefe da Marvel, Axel

Assim, pela primeira vez na história será possível ver um novo Homem-Aranha que não está vivido pelo fotógrafo Peter Parker, que morreu em junho pelas mãos do vilão Duende Verde na saga “Ultimate”, embora Parker continue vivo na série de histórias em quadrinhos original, “The Amazing Spider-Man”.

Morte do personagem Peter Parker na série 'Ultimate

Agora, o encarregado de proteger a cidade dos vilões nesta saga será Morales, que a Marvel qualifica de “novo personagem mais importante do século” e que em breve descobrirá “que junto com seus grandes poderes também vêm grandes responsabilidades… e grandes perigos”, afirma a editora.

A história do novo Homem-Aranha foi escrita por Brian Michael Bendis, Jonathan Hickman e Nick Spencer, desenhada por Sara Pichelli, Salvador Larroca e Clayton Crain, e a capa ficou por conta de Mark Bagley.

A série “Ultimate” começou em 2000 com o objetivo de atrair jovens leitores com histórias alternativas e atualizadas dos super-heróis mais populares de Marvel, como Homem-Aranha, o Quarteto Fantástico e os X-Men.

Fonte: G1

Uma Artista no Divã

Obra de Louise Bourgeois

Quem ouviu falar ao menos uma vez de Louise Bourgeois (1911-2010) certamente associa a artista franco-americana a um universo denso e sofrido. E não deixa de ter razão. Quanto mais os estudiosos se aprofundam em seu legado, soa mais adequada – e menos exagerada – uma de suas frases bem conhecidas: “The pain is the business that I am in”, algo como: “A dor é o meu negócio”. Como se não bastassem a biografia – que inclui uma adolescência debaixo do mesmo teto com o pai, a mãe e uma amante do pai – e as obras, que podem ser vistas como o fruto de um processo de catarse da artista, acaba de vir à luz um conjunto de escritos inéditos. Os rascunhos provam como ela canalizou intensamente as próprias angústias, medos e fantasmas para a arte.

As cerca de mil folhas encontradas pelo assistente Jerry Gorovoy em seu apartamento, no bairro boêmio nova-iorquino do Chelsea, e preenchidas em sua maior parte entre as décadas de 1950 e 60, incluem reflexões, registros de sonhos, anotações para futuras esculturas e correspondências. Editadas pelo curador Philip Larratt-Smith, as páginas juntam-se aos já conhecidos diários que a artista manteve durante toda a vida. Colocados lado a lado, os escritos evidenciam o quanto a psicanálise foi determinante em sua trajetória. De 1952 a 1967, Louise consultou-se com o doutor Henry Lowenfeld, ex-aluno de Freud, quatro vezes por semana, em sessões que duravam uma hora. Foi levada ao divã depois da morte do pai, em 1951, com quem mantinha um relacionamento bastante complicado. Por dez anos, Louis Bourgeois teve um caso com Sadie, a professora de inglês de seus filhos, que morava na casa da família. A artista, que descobriu a história aos 11 anos de idade, jamais superou a mágoa. Ao mesmo tempo, também jamais deixou de nutrir pelo pai uma admiração e um amor que, em dado momento, fizeram com que concluísse nunca haver de fato passado da fase do complexo de Édipo.

As recém-descobertas confissões de Louise são tão fundamentais para compreender ainda mais seu legado – misturado invariavelmente à sua intimidade – que Larratt-Smith as compara em importância às cartas deixadas pelo holandês Vincent van Gogh (1853-1890). E por isso a exposição Louise Bourgeois: O Retorno do Desejo Proibido, que chega neste mês ao Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, depois de estrear na Fundação Proa de Buenos Aires, é tão significativa. Com curadoria do próprio Larratt-Smith, trata-se da primeira grande individual de um dos mais emblemáticos nomes da arte do século 20 a passar pela América do Sul (depois de São Paulo, a mostra segue em setembro para o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro). A exposição foi idealizada no calor da leitura desses escritos e inclusive acompanha a publicação de parte deles. Conferir as anotações e poder observar simultaneamente as 112 obras da artista – entre desenhos, objetos, pinturas, esculturas e instalações produzidos de 1942 a 2009 – leva a uma conclusão forte: sem as sessões de psicanálise, talvez Louise não conseguisse chegar ao resultado plástico de algumas de suas criações mais icônicas.

SERVIÇO:

Louise Bourgeois: O Retorno do Desejo Proibido. Instituto Tomie Ohtake (r. Coropés, 88, Pinheiros, São Paulo, SP, tel. 0++/11/2245-1900). De 8/7 a 28/8. De 3ª a dom., das 11h às 20h. Grátis.

Espetáculo Louise Bourgeois – Faço, Desfaço, Refaço, de Denise Stoklos. Instituto Tomie Ohtake. Dias 23 e 24, às 20h. Os ingressos gratuitos devem ser retirados no local entre os dias 12 e 22.

Fonte: Revista Bravo

Thriller – a vida e a música de Michael Jackson na Grioti livros digitais

O álbum Thriller, quebrou várias fronteiras relacionadas a gênero e sua categorização no que diz respeito ao que toca ou não em cada rádio. Influenciou a moda, a TV, a dança e cristalizou um ícone POP.

A capa do antológico recorde de venda mundial. Mas como se não bastasse vender tanto. Era a transformação de um cantor num mito e no “Rei do Pop”.

Durante a divulgação de Thriller na noite de 16 de maio de 1983, 3 mil celebridades norte-americanas lotaram um teatro em Los Angeles para assistir a uma apresentação comemorativa dos 25 anos da gravadora, chamada Motown 25. De suas casas, 50 Milhões de norte-americanos acompanharam pela TV a apresentação dos vários artistas negros, até a entrada dos Irmãos Jacksons, que vão embora e deixam Michael Jackson sozinho no palco.

Ele começou a cantar “Billie Jean”, sucesso do álbum que havia lançado seis meses antes. De repente, Michael parou de cantar, andou até o canto esquerdo do palco e voltou deslizando de costas. Naquela noite, mais do que imortalizar o passo de dança criado e batizado décadas antes pelo dançarino Bill Bailey como “Moonwalk” (algo como “passo da lua”), Michael Jackson consagrou-se como o Rei do Pop. “Foi aquele momento que cristalizou o status de celebridade de Michael Jackson”, disse a revista americana Rolling Stone. “Moonwalk, no mundo do entretenimento, só é comparável ao andar de vagabundo de Chaplin, à sequência de Gene Kelly em Dançando na Chuva e aos passos de Fred Astaire no filme Núpcias Reais”.

O livro digital Thriller - a vida e a música de Michael Jackson

Ainda sob o impacto da morte do astro, Nelson George escreveu Thriller: A vida e a música de Michael Jackson, uma análise do álbum mais vendido da história e também um perfil da vida e da obra do cantor. O autor parte das nove canções históricas desse clássico de 1982 e usa quatro décadas de memória musical, trabalho jornalístico e acompanhamento do mundo do show bizz para analisar por que Michael Jackson alcançou momentos de maestria artística como nenhum outro astro depois dele. Um livro que mistura rigor crítico e respeito por um dos maiores e mais enigmáticos fenômenos da cultura pop.

Para comprar ou saber mais sobre o livro, clique  AQUI
A Grioti livros digitais tem vários títulos de diversas editoras, além de livros promocionais gratuitos, uma ótima forma para os iniciantes experimentarem a facilidade e praticidade de ler o conteúdo digita. Experimente: www.grioti.com.br

Wilton Bernardo
:: Oficina HQ
www.oficinahq.com

Livro Digital Contos do Folclore Brasileiro recebe material até 31 de julho!

Imagem ilustrativa msotrando uma ilustração pelo iPhone, um dos suportes eletrônicos em que poderá ler o livro digital "Contos do Folclore Brasileiro"

Para quem se delicia em escrever contos ou tem talento para ilustrar, ainda dá tempo de participar da 1ª. edição do livro de contos do Folclore Brasileiro realizado pela Oficina HQ em parceria com a livraria digital Grioti.
Ainda não recebemos nenhum conto do Lobisomem nem do Saci!
Gostaríamos muito de ter esses dois personagens super populares.

Sugiro que antes de participar, dê uma olhada na livraria digital. Tem alguma dúvida? O livro digital será lido apenas por equipamentos eletrônicos que lêem arquivos ePub e PDF como: iPhone, iPpad, PC, notebook, celulares com androide, galaxytab, etc. No site da ligraria, tem um banner na parte superior na cor azul, explicando como fazer pra baixar e ler um livro. Experimente. Comece baixando o livro promocinal “Oficina HQ com 1 artigo e entrevistas de 3 cartunistas: Flávio Luiz, Luis Augusto e Wilton Bernardo. 

Agora veja abaixo como participar do livro que será lançado em Agosto:

Livro digital ilustrado Volume 1
A Oficina HQ recebe contos baseados em lendas do folclore brasileiro (Boitatá, Boto, Curupira, Lobisomem, Mãe-D’água, Corpo-seco, Pisadeira, Mula-sem-cabeça, Mãe-de-ouro, Saci-Pererê etc). Cada conto deve ter entre 5 e 8 ilustrações. O autor do conto pode ou não ser o ilustrador do conto. Se preferir, pode convidar algum ilustrador assim como a iniciativa também pode partir do ilustrador, convidando um escritor. Uma vez que a dupla esteja formada, cabe a eles escolher o personagem, e produzirem a história (texto e ilustrações).

A Ação cultural selecionará os contos que integrarão a 1a. edição do livro digital onde os critérios são simples: qualidade e domínio técnico, levando em conta que o público alvo é adolescentes e adultos.

Inscrição e envio de textos e ilustrações
As imagens devem ser enviadas em JPG (com 300 dpi) até 30 de julho. Os contos devem ser enviados no corpo do E-mail: quadrinhos_ssa@hotmail.com com assunto: “livro digital – Folclore”.

Imagem ilustrativa da Oficina HQ no iPad, assim como o livro digital pderá ser lido.

Informar no corpo do E-mail:
a) Nome completo
b) Nome artístico (se tiver)
c) Endereço completo (inclusive CEP)
d) Atividade profissional atual
e) Profissão
f) Breve texto de apresentação (aproximadamente 5 linhas. Se tive site, blog, favor informar)
e) Se o inscrito for menor de idade e seu trabalho (texto e/ou ilustração) selecionado(s), o responsável deverá entregar uma declaração autorizando o menor a participar da produção. Caso a declaração não seja entregue antes do momento em que o livro comece a ser produzido pela Grioti, o menor será desclassificado automaticamente, pois pagamentos referentes a vendas, no caso de autor com menos de 18 anos, deverá ser efetuado na presença do responsável.

A seleção e divulgação dos textos e ilustrações escolhidas será divulgada até final de julho por E-mail, blog e site da Oficina HQ.

Lançamento do livro
15 de agosto será lançado o livro digital ilustrado através de site/ Blog da Oficina HQ, redes sociais, e mídia.

Custos de produção
A assessoria, divulgação e produção do livro digital fica sob responsabilidade da Oficina HQ, onde os autores não terão despesa alguma no processo de disponibilização das vendas, confecção ou promoção do produto. 

Imagem ilustrativa

Comercialização do livro digital 
O número de contos da primeira edição do livro ainda não está definido, porém, estima-se algo em torno de 5 contos, mas a Oficina HQ prefere não fechar um número e ter a liberdade de colocar mais ou menos de acordo com a quantidade de material recebido, adequado ao tema e qualidade desejada.

O Livro terá um valor de capa do qual será retirado percentual para:
a) Ação Cultural Oficina HQ 20%
b) Autores (escritores e ilustradores) 35%
c) Grioti livros digitais 45%

Produção do livro 
A Grioti produzirá o livro digital, o qual será disponibilizado para vendas na própria livraria. O livro poderá ser lido por dispositivos eletrônicos como iPad, iPod Touch, iPhone, eReader, celulares e/ou tablets com android e computadores com sistema operacional Windows e Mac OS X.

Direito autoral
O direito autoral será respeitado, tanto pela Oficina HQ quanto pela Grioti, onde fica claro que apesar de responsável pela comercialização do produto cultura em que se transformará a coletânea de textos e ilustrações, cada ilustração continua sendo do ilustrador que a fez, bem como cada conto continua sendo do escritor, porém, a comercialização dos direitos de uso fica sob responsabilidade exclusiva da Oficina HQ.

Dúvidas
Se tiver qualquer dúvida, por favor faça contato. Escreva para quadrinhos_ssa@hotmail.com e retornarei assim que possível.

Conheça a livraria digital que está fazendo a parceria com a Oficia HQ:
www.grioti.com.br
www.grioti.com.br/blog
(71) 4062-8021

+ Ação Cultural Oficina HQ +
WWW.oficinahq.com
https://oficinahq.wordpress.com
(71) 8807-4331

Lançamento de HQ em Salvador – São Jorge da Mata Escura

Lançamento de HQ São Jorge da Mata Escura

Lançamento da história em quadrinhos SÃO JORGE DA MATA ESCURA!
Neste sábado, dia 09 de julho das 15hs as 18hs aqui na RV Cultura e Arte!

Patrocinado pelo Fundo de Cultura da Secretária de Cultura do Estado da Bahia, “São Jorge da Mata Escura” é uma história em quadrinhos de 52 páginas, que conta, através de arquétipos do misticismo religioso baiano, a história de três personagens que habitam a região da Mata Escura (periferia de Salvador): o virtuoso Jorge, o ambicioso Jarcisley e a tempestuosa Bárbara. A trama tem roteiro de Marcello Fontana e desenhos de André Leal, mas também conta com as participações gráficas de Antônio Cedraz (Turma do Xaxado) e Naara Nascimento.
O processo de produção desta HQ durou cerca de dois anos, entre finalização do roteiro e impressão, e o produto final, que sai pelo selo de quadrinhos da RV Cultura e Arte será lançado no dia 09 de julho de 2011, as 16hs horas na RV Quadrinhos, a única loja especializada no gênero da cidade, mas também terá distribuição nacional através da Devir Livraria.

 

SERVIÇO:
Lançamento de HQ: SÃO JORGE DA MATA ESCURA
Data: 09 de julho das 15hs as 18hs na RV Cultura e Arte (Rua Barro Vermelho 32, Rio Vermelho, Salvador-BA-Brasil.
Tel.: (71) 3347-4929

 

Sobre a História em Quadrinhos
Autor: Marcello Fontana
Ilustradores: André Leal, Naara Nascimento e Antônio Cedraz
Selo de edição: RV Cultura e Arte
Páginas: 56 (54 p&b + 2 coloridas)
Formato: 22 x 16,5cm, papel couché 115gr, acabamento em brochura
Tiragem de 1500 exemplares

Fonte: RV Cultura e Arte 55 (71) 3347-4929
www.rvculturaearte.com

NEOJIBA celebra 2 de Julho com preços populares, antes de mais uma turnê na Europa

NEOJIBA no Teatro Castro Alves, 2 de julho

No dia 2 de julho, a Orquestra Sinfônica Juvenil da Bahia (YOBA), se apresenta sob regência do maestro Eduardo Torres na Sala Principal do Teatro Castro Alves, para celebrar a Independência da Bahia. O concerto, que antecipa a turnê internacional na Alemanha e Suíça, nos dias 5 e 7 de agosto, respectivamente, poderá ser conferido em Salvador a preços populares: R$ 4,00 e R$ 2,00.

Se apresentando pela primeira vez com a Sinfônica Juvenil da Bahia, o solista do concerto será o violonista costa-riquenho Mario Ulloa, com o Adagio do “Concerto de Aranjuez para violão e orquestra”, de Joaquin Rodrigo. Radicado na Bahia, Mario Ulloa já se apresentou como solista na Inglaterra, Alemanha, Áustria, Holanda, Noruega, França, Bélgica, Canadá e Estados Unidos, e gravou quatro CDs.

Em maio deste ano, a YOBA foi a primeira orquestra brasileira a se apresentar em uma das mais importantes salas de espetáculo da Europa – o Royal Festival Hall, em Londres. Em agosto, a Orquestra parte para mais concertos inéditos: no dia 05, será a primeira orquestra juvenil brasileira a se apresentar no Festival Young Euro Classic, na abertura do evento, em Berlim. Em seguida, a Orquestra viaja a Genebra, onde se apresenta no Victoria Hall, no dia 07 de agosto, como parte da programação do “Musiques en Été” (Músicas no Verão). O Festival é organizado anualmente pelo Departamento de Assuntos Culturais da Cidade de Genebra, com uma série anual de concertos para os amantes da música.
***********

Sobre o Neojibá

Criado em 2007 como um dos programas prioritários do Governo do Estado da Bahia, desenvolvido através da Secretaria de Cultura (Secult), o NEOJIBA tem por objetivo alcançar a excelência e a integração social por meio da prática coletiva da música. Para isso tem como foco a construção ética e pedagógica da infância e da juventude, mediante a instrução e a prática orquestral, capacitação em ensino musical e a reparação de instrumentos musicais. Além de ser uma iniciativa de cunho artístico-cultural, o Neojibá é uma importante ação de formação e capacitação de crianças e adolescentes, com foco na transmissão e multiplicação do conhecimento e na integração social.
www.neojiba.org

Orquestra Sinfônica Juvenil da Bahia
Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves
Quando: Sábado, 2 de Julho, às 20h
Quanto: R$ 4 (inteira)

 PROGRAMA
JOSÉ DOS SANTOS BARRETO
Hino ao 2 de Julho (Arr. Fred Dantas)

FRYDERYK CHOPIN

Les Préludes

JOAQUÍN RODRIGO
Adagio do “Concerto de Aranjuez”

Solista: Mario Ulloa (violão)HEITOR VILLA-LOBOS
Miudinho (Dança – Bachianas Brasileiras n° 4)

WELLINGTON GOMES
Sonhos PercutidosSILVESTRE REVUELTAS
Sensemayá

Fonte: Assessoria