Documentário: vida e obra do artista de mangá Yoshihiro Tatsumi

Um documentário sobre a vida e obra de Yoshihiro Tatsumi, um dos mais importantes artistas de mangá do Japão, teve sua première mundial na noite desta terça-feira (17) em Cannes. O filme é parte da mostra competitiva Un Certain Regard.

Dirigido por Erik Khoo, “Tatsumi” usa os próprios desenhos do artista para criar uma adaptação animada de cinco de suas histórias, além de sua própria biografia, contada na recém-lançada “A drifting life”.

Discípulo e colega de Osamu Tezuka, considerado “o deus do mangá” no Japão, Tatsumi nasceu em Osaka e começou a criar suas HQs ainda adolescente. Em 1957, cunhou a expressão “gekiga” para descrever seus mangás, que inovaram ao abordar temáticas adultas e realistas.

Cena da animação "Tatsumi", destaque da mostra Un Certain Regard. (Foto: Divulgação)

“Hell”, conto que abre o filme, é ambientado em Hiroshima, logo após a explosão da bomba atômica e conta a história de um fotógrafo que registrou a sombra de um garoto e sua mãe antes de serem eliminados pela hecatombe nuclear.

Com um final assustador, “Beloved monkeY” fala de um operário insatisfeito cujo único amigo é um macaco de estimação. Nas três últimas historietas – “Just a man”, “Occupied” e “Good-bye”, o longa trata de questões sexuais de diferentes personagens.

Com 75 anos de idade e ainda em atividade, Yoshihiro Tatsumi também dublou alguns trechos da animação. Ao lado do diretor nascido em Cingapura – que já esteve no festival por diversas vezes, incluindo em 2008 quando apresentou “My magic” -, o artista de mangá também compareceu à sessão do filme e afirmou que o assistiu pela primeira vez em Cannes.

“Tatsumi” ainda não tem estreia prevista no Brasil. De sua obra, a editora Zarabatana já publicou no país o mangá “Mulheres”, uma coleção de histórias de personagens femininas.

Fonte: g1.globo.com

Mangás em edições de bolso


A L&PM anunciou a parceria com a editora japonesa Shogakukan para lançar no Brasil dois títulos de mangá. Solanin, de Inio Asano, e Boken Shonen, de Mitsuri Adashi, chegarão no segundo semestre deste ano, em edições de bolso. Em Solanin, dois jovens recém-formados na faculdade enfrentam os obstáculos que a vida longe da casa dos pais exige. E Boken Shonen traz histórias sobre adultos que precisam olhar para seu passado se quiserem resolver os problemas que sofrem hoje. Os dois mangás serão editados na forma original de leitura (de trás para a frente).

Fonte: Universo HQ