Da experiência que tive como aluno da Oficina de Quadrinhos

Por Victor Diomondes, que fez a oficina entre setembro e outubro de 2016

Com seu jeito bastante contido, diria até mesmo tímido, o professor Wilton Bernardo consegue enganar desavisados. Por trás dos óculos do Clark Kent, sempre há de haver um Superman, conquanto se esteja disposto a realizar feitos heroicos. E certamente os feitos desse artista visual é produzir quadrinhos, e principalmente, ensinar quadrinhos.

No geral já é bastante complicado produzir arte tanto no país quanto em nosso estado. Mas nossa Bahia e sua capital carecem de uma formação voltada para essa linguagem. Sim, quadrinhos é linguagem, meio de expressão, válido para se dizer sentimentos e pensamentos, para se educar e até mesmo para se vender algo, por que não? Essa foi uma das primeiras questões abordadas por Wilton em suas aulas. A forma como ele transmite as lições, sempre baseadas em um diálogo direto e franco com seus alunos é louvável. Ele poderia sim, com base em seus 13 anos de atuação na Ação Cultural Oficina HQ e mais tantos como profissional da área, falar bastante. Mas seu método de levantar diálogos sobre algum tema da realização de quadrinhos, passando referências visuais, conversando e provocando questionamentos é bem mais interessante. E com certeza ele é habilidoso nas provocações que faz, já aí surpreendendo. Não as faz de qualquer jeito, é possível se ver onde ele quer chegar, e até lá, o debate permite que cada aluno exponha suas próprias concepções, havendo um compartilhamento de ideias. Essa forma meio socrática de fazer as coisas é bem mais interessante. O aluno é, nessa Oficina de Quadrinhos, um ser ativo, e Wilton, como professor, lida com cada um como se fosse criador. O aluno não está ali só para receber um conteúdo e aplicar as lições através de um produto. Senti nas aulas do professor que ele lidava conosco como se fossemos artistas, e que tinham o que dizer.

Atravessando o conteúdo do curso, pudemos conhecer as estruturas narrativas, receber dicas e acompanhamento quanto aos nossos desenhos, e principalmente, criarmos. O foco de Wilton – e isso ele dizia com todas as letras – era o aprendizado e não necessariamente o resultado. Assim sendo, não tínhamos que ter um quadrinho totalmente pronto, mas tínhamos que ter passado pelas etapas da construção de um quadrinho. Pudemos analisar outros quadrinhos e conversarmos sobre. Isso sem dúvida era uma delícia, uma oportunidade de falarmos sobre nossas referências pop, nossos personagens prediletos, nossas críticas quanto a outros quadrinhos, séries e cinema, uma vez que cada uma dessas artes usa a narrativa. Bem, hoje em dia quando leio uma história em quadrinhos ou mesmo quando assisto um filme, série e espetáculo de teatro, não os vejo mais do mesmo jeito.

Entre papos e pratica, produzi uma série de desenhos que fiz para exercitar minha habilidade e esboços de roteiro para uma HQ. Com isso pude ter uma base firme e duradoura para produzir quadrinhos – agora a questão é fazer, né? 😛 Certamente os resultados quanto ao meu traço foram notórios, senti a diferença. O estilo de aula empreendido por Wilton Bernardo permitiu que eu pudesse a um só tempo desenvolver minhas habilidades e construísse junto aos outros alunos e ao professor um conhecimento sobre quadrinhos. Isso é algo valioso, ainda mais se pensarmos que as vezes encontramos métodos de ensino pouco abertos à conversa.

É bom que eu avise: não se pode dizer que o professor dessa oficina não preparou seus alunos para o cenário profissional. Como atuante da área, trabalhando na criação de material para jornais, empresas e até mesmo para outros artistas da cidade, ele nos forneceu dicas e partilhou experiências valiosas no trato do quadrinho e da atividade criativa como profissão. Uma das lições mais bem vindas foi quanto ao campo dos direitos autorais, que Wilton fez questão de transmitir de forma bem completa. Para que o leitor saiba mais sobre, ora bolas, vá lá e procure se inscrever na Oficina de Quadrinhos.

Meus mais profundos agradecimentos a Wilton, que além de grande artista é um educador de mão cheia, e a minha turma da Oficina de Quadrinhos que muito me ensinou a cada papo sobre HQ, Marvel, DC, Scott Pilgrim séries e arte. E todos desenham maravilhosamente bem.

Victor Diomondes é formado em Licenciatura em Teatro pela UFBA. É arte-educador, ilustrador e ator, integrante do Coletivo Saladistar Produções e Núcleo Viansatã de Investigação Cênica.

Arte pela tolerância

Estou postando essa arte para dividir com vocês a minha pequena forma de “orar por tolerância”. A minha forma de orar é fazendo arte.
Então, este é um trabalho que fiz e estou postando no topo do meu Facebook. Sim! Então pensei “porque não postar no Blog?” Assim, posso dividir esse sentimento com mais pessoas.

Fico pensando mas pessoas e realmente parece muito estranho saber que depois de tantos passos em desenvolvimentos tecnológicos, avanços diversos, as pessoas ainda “dão motivo” a artistas das mais diversas áreas a fazerem produções aclamando uma coisa tão simples como “respeito, compreensão, tolerância”.  Seríamos tão mais felizes se pudéssemos entender que cada um deve ter o direito de ser como é, gostar do que quer gostar, seja um prato predileto, uma cor, um sabor ou um amor.
Porque será que há tantas pessoas incomodadas com o que o outro faz de sua própria vida, desde que isso não signifique desrespeito?

Acho que todos precisamos repensar, e pensar muitas, muitas vezes. Avaliar nossos atos com humildade. Não tem governo, lei, político ou religião que possa fazer isso.  Não adiantar esperar nem rezar. É pensar e mudar a forma de pensar que cabe a cada um de nós.

:: Wilton Bernardo para Ação Cultural Oficina HQ
8/7/12

Publicidade:
_______________________________________________________

Notícia sobre a 30ª Bienal de SP

Obra do brasileiro Arthur Bispo do Rosário estará na 30ª Bienal de São Paulo

A Iminência das Poéticas será o tema de sua 30ª edição da Bienal de SP, que acontece de 7 de setembro a 9 de dezembro.

De acordo com o curador, o venezuelano Luis Pérez-Oramas, a Bienal será dividida em “constelações” de obras e artistas que conversam entre si. Dentro das constelações, haverá quatro zonas curatoriais (Sobrevivências, Alterformas, Derivas e Vozes) e uma zona transversal (Reverso), como forma de articular os componentes expositivos do quadro geral da mostra.

Pérez-Oramas ainda afirma que esta é “a Bienal da percepção da imagem”, ao citar o ponto central da reflexão proposta, que ele classifica como “iminências”: “o que está a ponto de acontecer, a palavra na ponta da língua, o silêncio imprevisto que antecede a decisão de falar ou de não falar, a arte como estratégia discursiva e a poética em sua pluralidade e multiplicidade”.

A conectividade entre as obras sugere a experiência e o questionamento, mas sem deixar que o artista e as composições fiquem ilhados. “Saber viver é respeitar o que não conhecemos”, disse o venezuelano ao comentar que os participantes da Bienal não estão representando um tema ou um mundo, mas estão por eles próprios, por suas obras e investigações.

Quanto ao projeto educativo, introduzido à Bienal desde a sua 2ª edição, em 1953, a curadora Stela Barbieri explicou que serão desenvolvidas ações durante todo o ano. Formado por uma equipe de artistas, educadores e pesquisadores, o Educativo Bienal propõe desenvolver iniciativas, cursos e oficinas que provoquem reflexão sobre o tema da mostra, assim como sobre a vida e a arte contemporânea em suas diversas manifestações.

Outra novidade é a maneira como foi desenvolvida a identidade visual do evento deste ano. Pela primeira vez foi criado um workshop aberto a participantes selecionados e designers convidados, que criaram trinta cartazes baseados na ideia de constelação, ponto central do projeto curatorial.

Entre os artistas que irão compor a mostra, estão estrangeiros e brasileiros, que totalizam 110 nomes. Segundo Heitor Martins, presidente da fundação Bienal, o número de representantes brasileiros (23), é pequeno, pois houve uma redução no total de participantes, se comparado com outras edições. Na safra nacional estão artistas como Arthur Bispo do Rosário, Alberto Bitar e Eduardo Berliner, entre outros.

Fonte: TERRA

Visite as obras de Leonardo da Vinci, através de um museu virtual

Mona Lisa, uma das obras mais famosas de Leonardo da Vinci (além de pintor, Leonardo Da Vinci foi cientista, filósofo, arquiteto, engenheiro, músico, anatomista, matemático, naturalista e astrônomo)

Em abril de 1452 nascia um dos sartistas mais importantes de todos os tempos.
O cientista responsável por surpreendentes descobertas e o maior pintor da Renascença. Um filósofo que desenvolveu muitas teorias, porém nunca as revelou. Um arquiteto, engenheiro, músico, anatomista, matemático, naturalista, astrônomo… Esse foi Leonardo da Vinci, que com a curiosidade nata e o talento científico ganhou o título de o “Homem do Renascimento“.

Da Vinci rompeu as barreiras de uma época conservadora. O cientista desafiou as políticas religiosas para a realização de estudos anatômicos. Foi um grande projetista do futuro. Como cientista deixou mais de 5.000 páginas de manuscritos com estudos de praticamente todas as áreas do conhecimento. Já como artista, presenteou o mundo com pinturas que até hoje servem de referência para jovens talentos da arte.

Conheça as múltiplas facetas de Da Vinci no Passeio Virtual produzido pelo Universia Brasil. Nesta viagem, terá acesso ao universo intelectual do artista e cientista, incluindo desde as pesquisas na área de engenharia, mecânica e anatomia até obras-primas como Mona Lisa e a Última Ceia. Clique na imagem abaixo e navegue por esse passeio virtual. 


OUTROS MUSEUS VIRTUAIS:

» American Museum of Natural History

» My studios

» Museu Virtual Gentileza

» RTP Museu Virtual

» Museu Virtual de Brasília

» Museu Virtual de Ouro Preto

» Museu Virtual UnB

» Museu Virtual do Transporte

» Igreja do Santo Sepulcro

» Capela Sistina

» Van Gogh Museum

» Museu do Louvre

» British Museum

» Museu Virtual Memória da Propaganda

» Museu da Pessoa

» Museu Virtual do Futebol

» Museu Encantado da Barvbie

» Museu Virtual do Iraque

» Museu Virtual de Parelha

» Museu Virtual Aristides Sousa Mendes

» Art-Bonobo

» Museu Mazzaropi

» Museu Virtual da Imprensa

» Museu Virtual de Informática

» Visitas Virtuais 3D

» Museu Virtual da Água

» Museu Virtual de Artes Plásticas

» Museu da Faculdade de Medicina UFRJ

» Museu Virtual do Cartoon

» Virtual Museum of Canada

» National Museum of US Air Force

» The virtual museum of Japanese Arts

» Museum with no frontiers

» Virtual Egyptian Museum

» Museu do Instituto Geográfico Português

» Museu Virtual da Coca-cola

» Museu da Bactéria

» Museu de Arte do Uruguai

» Museu Bizantino

» Museu Virtual FEB

» Museu da Contabilidade

» Museu Nacional de Arquiologia

» Fundación Gala-Salvador Dalí

» Museu Virtual do Sintetizador

» Museu da Infância

Fonte: Universia Brasil

Lançamento do edital Salões de Artes Visuais da Bahia 2012

Lançamento do edital Salões de Artes Visuais da Bahia 2012 é celebrado no MAM-BA

Eventos de apresentação do edital vão também acontecer
em Irecê, Jequié e Juazeiro, cidades que sediam as exposições
do projeto este ano

Na próxima terça-feira, 24 de abril, a Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), marca o lançamento do editalSalões de Artes Visuais da Bahia 2012 em evento no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA). A partir das 18 horas, gestores da FUNCEB receberão o público interessado para apresentar o certame, que, nesta edição, comemora os 20 anos dos Salões Regionais de Artes Visuais da Bahia. Na ocasião, serão expostas imagens das obras que compuseram os Salões do ano passado. A entrada é gratuita e o convite à participação se volta a toda a comunidade cultural da Bahia.

 

Eventos semelhantes ocorrerão também nas três cidades que vão sediar as exposições dos Salões de Artes Visuais da Bahia este ano: Juazeiro, que recebe os gestores da FUNCEB no dia 26 de abril (quinta-feira), às 19 horas, no Centro de Cultura João Gilberto; Jequié, que reunirá os interessados em 2 de maio (quarta-feira), às 19 horas, no Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães; e Irecê, que participará do lançamento em 3 de maio (quinta-feira), às 19 horas, no Auditório Espaço UFBA.

 

As inscrições para o edital Salões de Artes Visuais da Bahia 2012 estão abertas até o dia 25 de maio. O projeto visa a apresentar ao público a diversidade da atual produção baiana em Artes Visuais, divulgar o trabalho dos artistas e estimular a reflexão sobre temas atuais da área. A minuta do edital, bem como seus anexos, está disponível nos sites da FUNCEB (www.funceb.ba.gov.br) e da SecultBA (www.cultura.ba.gov.br).

 

Nestes encontros de lançamento simbólico, serão expostas as novidades que o projeto traz nesta edição – entre elas, está, inclusive, o fato de que o MAM-BA abrigará uma edição especial dos Salões, entre março e abril de 2013, com as obras premiadas e as menções honrosas indicadas em 2012, fortalecendo a divulgação e a difusão do trabalho dos participantes.

 

Em diálogo com participantes dos Salões de 2011, que fizeram sugestões para aprimorar a iniciativa, a FUNCEB instituiu modificações no sentido de atualizar, ampliar e buscar maior relevância quanto aos resultados da iniciativa. Com o novo nome de Salões de Artes Visuais da Bahia, o projeto assume sua representação múltipla e contemporânea, que extrapola referências e características regionais.

 

Os prêmios concedidos são agora igualitários, no valor de R$ 7 mil cada; foi criado o Prêmio do Público, que será resultante de votação direta dos visitantes de cada exposição; e foi incluída a modalidade de intervenção urbana entre as manifestações artísticas contempladas pelo edital. Além disso, as comissões de seleção e de premiação terão, entre seus membros, um profissional renomado de fora do estado da Bahia, possibilitando um olhar externo em relação à produção baiana, ampliando os critérios de análise para além de fatores regionais e ainda contribuindo para divulgar as Artes Visuais da Bahia junto a curadores e críticos de arte brasileiros.

Para completar, pela primeira vez será realizado um Salão em uma cidade que não possui centro de cultura da SecultBA. Até 2011, as mostras eram sempre feitas nos espaços culturais vinculados ao Estado, restringindo sua circulação em municípios contemplados com a existência destes centros. Neste sentido, em parceria com a Prefeitura Municipal, Irecê sediará uma das exposições de 2012.

Salões de Artes Visuais da Bahia 2012 – O edital vai selecionar, expor, apoiar artistas participantes e premiar trabalhos de livre temática nas modalidades de arte e tecnologia,assemblage, cerâmica, colagem, desenho, design gráfico (ilustração, humor gráfico e quadrinhos), escultura, fotografia, grafitti, gravura, instalação, intervenção urbana, objeto, performance, pintura, tapeçaria e videoarte. As propostas serão avaliadas quanto ao currículo do proponente e à qualidade artística da obra.

 

As obras selecionadas vão compor três exposições abertas à visitação pública, em cidades do interior da Bahia. Os Salões 2012 vão ocupar o Espaço ISI, em Irecê (de 27 de julho a 8 de setembro), o Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães, em Jequié (de 17 de agosto a 30 de setembro) e o Centro de Cultura João Gilberto, em Juazeiro (21 de setembro a 4 de novembro). O número de trabalhos para cada Salão dependerá das características físicas das obras inscritas, assim como dos espaços expositivos em questão.

 

Na abertura de cada mostra, uma comissão de premiação específica anunciará três obras premiadas entre as expostas, que receberão prêmios de R$ 7 mil cada. Serão investidos, portanto, um total de R$ 63 mil em premiações. Além disso, cada expositor receberá um auxílio para o custeio da sua participação no valor de R$ 800. Há também os prêmios simbólicos: as Menções Honrosas, indicadas pela comissão de premiação, e o Prêmio do Público, pela escolha dos visitantes.

 

Todos estes trabalhos premiados vão ainda integrar uma exposição no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), em Salvador, no período de 1º de março a 14 de abril de 2013, numa parceria entre a FUNCEB e o MAM-BA, através da Diretoria de Museus (DIMUS) do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC). Estas obras vão também estar nas páginas do Catálogo dos Salões de Artes Visuais da Bahia, publicação bianual de registro e divulgação. As duas edições já lançadas do Catálogo (2007/2008 e 2009/2010), além de suas versões impressas, estão disponíveis para download no site da FUNCEB.

Inscrições – O edital é aberto a pessoas físicas, maiores de 18 anos, brasileiros natos ou naturalizados, além de estrangeiros com situação de permanência legalizada. Cada proponente pode inscrever até três obras diferentes de sua autoria, criadas a partir de 2011, para cada um dos Salões, mas apenas uma delas poderá ser selecionada para integrá-los individualmente. Premiados nas edições dos Salões em 2010 e em 2011 podem participar, mas não concorrerão às premiações. Os interessados devem apresentar os documentos exigidos no edital em envelope lacrado e podem se inscrever pessoalmente na sede da FUNCEB, em Salvador/BA, de segunda a sexta-feira, das 14 às 18 horas, ou por via postal, exclusivamente através do serviço Sedex com Aviso de Recebimento.

Eventos de Lançamento dos Salões de Artes Visuais da Bahia 2012

Abertos ao público, gratuitos

 Salvador: Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA)

Quando: 24 de abril (terça-feira), 18 horas

 Juazeiro: Centro de Cultura João Gilberto

 

Quando: 26 de abril (quinta-feira), 19 horas

 Jequié: Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães

Quando: 2 de maio (quarta-feira), 19 horas

 Irecê: Auditório Espaço UFBA

Quando: 3 de maio (quinta-feira), 19 horas

 Inscrições para edital Salões de Artes Visuais da Bahia 2012

Até 25 de maio de 2012

Inscrições presenciais:

Na FUNCEB (Rua Guedes de Brito, 14, Pelourinho, Salvador/BA)

De segunda a sexta-feira, das 14 às 18 horas

Inscrições via postal:

Unicamente através do serviço Sedex com Aviso de Recebimento/AR, encaminhadas para:

FUNDAÇÃO CULTURAL DO ESTADO DA BAHIA – Edital Salões de Artes Visuais da Bahia – CAIXA POSTAL 2485, CEP 40.020-970, Salvador – Bahia.

Sites:
FUNCEB: www.funceb.ba.gov.br
SecultBA: www.cultura.ba.gov.br
Informações: 71 3324-8519 / saloes.artesvisuais@funceb.ba.gov.br
Realização: FUNCEB/ SecultBA

Fonte: Assessoria

Shows e videoarte no Museu de Arte Moderna da Bahia

Pelo terceiro ano consecutivo, o Zona Mundi traz a Salvador programação diversificada de música e arte digital. Dia 7 de outubro, a noite começa com Miku, projeto multimídia composto pelo VJ Dexter com performance de AD, às 20h, no Museu de Arte Moderna da Bahia.

Em seguida, se apresenta Zona Mobile, produção coletiva de conteúdo musical através de suportes digitais móveis. O trabalho é feito pelos produtores musicais Mangaio e Junix. Simultaneamente, o público confere vídeoarte com VJs Gabiru e Danillo Barata, mantendo o diálogo entre imagem, música e arte eletrônica. O show de Nana está previsto para começar às 21h30. Catarina Dee Jah é a última atração da noite.

O Zona Mundi é patrocinado pela VIVO, com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (FazCultura) e integra o CONEXÃO VIVO, iniciativa voltada ao desenvolvimento do setor musical brasileiro.

Serviço
O que: Zona Mundi/Conexão Vivo – Circuito eletrônico de som e imagem
Dia: 7 de outubro
Onde: Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA)
Horário: a partir das 20h
Valor: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia-entrada)

Mais informações
http://www.conexãovivo.com.br
http://www.zonamundi.blogspot.com

Fonte: Assessoria

Michael Jackson vira estátua de cera em museu no Japão

A obra, que retrata Michael Jackson em tamanho natural, faz parte de uma mostra de 17 estátuas que fica em cartaz até janeiro. Réplicas de Lady Gaga e Beyoncé também estão na exposição (Foto: Itsuo Inouye/AP)

Fonte: G1

O queridinho da Madonna expõe no Brasil

Madonna já foi clicada inúmeras vezes por Steven Klein

Tem gringo mostrando suas poses no Brasil. Literalmente. A exposição USAnatomy, que acontece até o dia 28 de agosto no Mube, traz os melhores trabalhos fotográficos de Steven Klein ao longo dos 15 anos de carreira.

O artista ficou conhecido no mundo dos flashes após ser apontado como o queridinho de Madonna. O reconhecimento e a bajulação não param por ai. Grifes e revistas mundiais também decidiram por ter o trabalho deste norte-americano entre as campanhas e editorias de moda.

Nos espaços do salão central do museu paulistano, os visitantes poderão ver 87 obras de Klein.

Foto de Steve Klein, integra a exposição USAnatomy

Entre um clique e outro, é possível observar como ele passeia entre os universos da moda e da arte, tendo como elemento de unificação o olhar audacioso, erótico, transgressor e comercial. Tudo bem ao estilo preferido do público que transita entre esses mundos.

A repercussão diante das produções de Steven Klein é explicada pelo olhar subversivo na estética idealizada pelo público.

Como num passe de mágica, o profissional coloca no mesmo ângulo a oposição do belo ao horror, desconstruindo a normalidade.

O desconforto é comum aos olhos de quem observa as imagens de Steven Klein devido ao desarranjo impresso em suas obras, tornando a característica a principal particularidade do artista.
“As imagens vanguardistas criadas por Steve Klein impressionam pela energia, força bruta e fetichismo, que são resultado do seu approach inovador e criativo”, explica o curador da mostra Chico Lowndes.

Além de fotos, o vídeo Your Hallucination Is Now Complete é exibido por oito minutos fazendo uma retrospectiva da carreira do fotógrafo.
Steven Klein está para a fotografia assim como Marina Abramovic está para as artes plásticas quando o sentido é provocação e quebrar clichês.

“Ele gosta de desconstruir as pessoas que fotografa e dirige. Os destaques dos trabalhos chegam com mais facilidade ao público por ele trabalhar com famosos”, afirma o professor de Fotografia da Faculdade Panamericana de Artes Alyson Montrezol.

Lowndes reforça ainda que as séries de imagens trazem narrativas épicas, muitas vezes subversivas, que resultam da exploração e confluência do movimento com o estático.
“Steven é capaz de ultrapassar os limites da fotografia tradicional de moda e ampliar sua presença no universo da arte. É o grande criador de imagens icônicas nesse momento”, complementa.

Serviço:
O quê: Exposição de fotografias USAnatomy de Steven Klein
Local: salão central do MuBE(Museu Brasileiro da Escultura) em São Paulo
Data: desde 10 até 28 de agosto
Horário: 10h às 19h com entrada gratuita

Fontes: http://www.dignow.org/ e Diário do Grande ABC(Andréia Meneguete)

Exposição “Subtraídos” de Péricles Mendes em Salvador-BA

Exposição "Subtraídos: uma estética do desparecimento" de Péricles Mendes

A Fundação Cultural do Estado da Bahia convida para :

Exposição “Subtraídos: uma estética do desparecimento” de Péricles Mendes
Galeria do Conselho (anexo ao Palácio da Aclamação)
Av: Sete de Setembro, 1330 Campo Grande
Abertura : 12/08/2011 ás 19h
Visitação : 15/08 a 12/09/2011

Att,

DIRART/ Artes Visuais
FUNCEB
71 3116-6953