A Bahia perde o cartunista Luís Augusto

Luís Augusto, autor do personagem de Quadrinhos Fala Menino, entre muitos outros, faleceu em 20/1/2018


E os fãs de quadrinhos da Bahia sofrem mais uma perda. Faleceu hoje (20) vítima de um enfarte , Luis Augusto, criador da tirinha Fala Menino.

Luís Augusto tinha 46 anos era formado em Arquitetura e Urbanismo, Luiz foi arte-educador em escolas da Bahia, trabalhou com ZIRALDO, fazendo histórias para a revista O Menino Maluquinho, da Editora Abril, e publicou no Jornal A Tarde (Bahia). Recebeu o reconhecimento e diversos prêmios ao longo de sua carreira como: – Troféu HQMix de melhor livro infanto-juvenil de 1997, Primeiro Prêmio Ibero-americano de Comunicação pelos Direitos da Infância e Adolescência – UNICEF, 1999 e o Troféu Bigorna de Melhor Cartunista do Brasil em 2008.

Seu trabalho abordava o universo infantil concentrado em tamáticas como as diferenças físicas ou sociais,de superação de limites, de inclusão e Responsabilidade social, tendo como personagem principal de seu universo de tiras Lucas “um garoto de dez anos bastante verdadeiro, amável, divertido e filosófico que adora brincar com seus amigos, desenhar tirinhas e, diferente da maioria das crianças de sua idade, ainda não sabe falar. Não, ele não é surdo e os médicos dizem que falará algum dia mas, até lá, Lucas fala com o coração. Sempre!”

É difícil de acreditar. Uma perda irreparável. Conheci o Luís pessoalmente antes de entrar na Faculdade de Artes, mas me aproximei mais, após criar o curso de Quadrinhos “Oficina HQ”. Não era uma amizade próxima de falar sempre e conversar sobre todas as coisas. Mas era um parceiro, era um dos portos-seguros. Era alguém que em se tratando de quadrinhos, eventos, realizações, apoio, eu sabia que poderia contar. E contei muitas vezes. Desejo sinceramente que siga em paz. Desejo também que sua obra seja cuidada para que muito mais pessoas tenham acesso e possam conhecer a sensibilidade do trabalho especial do grande batalhador criativo e original Luís AugustoWilton Bernardo, idealizador do Curso de Quadrinhos Oficina HQ

Confira um trecho da entrevista concedia por ele ao site OficinaHQ em 2011:

Oficina HQ: Todos sabem que você já lançou diversos livros do Fala Menino e outros personagens abordando o universo infantil. Você já tem uma estrada, uma identidade. Por isso, antes de falar dessa trajetória, eu gostaria que você falasse um pouco de como foi a sua busca pra trabalhar com quadrinhos antes de se “encontrar” com o Fala Menino.

Luis Augusto: “Eu mal tinha entrado na faculdade de Arquitetura da Ufba, qdo conheci o Ziraldo e apresentei a ele meu portifólio. Ele me chamou pra fazer parte da equipe da Zappin. Claro que fui. Coloquei a mochila nas costas e aluguei um quartinho no Rio. Fiquei 6 meses aprendendo a desenhar o menino da panela na cabeça, vendi roteiros mas acabei voltando para concluir meu curso aqui em Salvador. Não acreditava que houvesse espaço, mercado para quadrinhos e, de repente, meu destino na prancheta era mesmo desenhar projetos de casas ou coisas assim… Depois de idas e vindas, enquanto trabalhava como arte-educador em escolas de Salvador, ganhei uma menção honrosa num concurso de quadrinhos da Academia Brasileira de Artes, em São Paulo. Com esse estímulo, resolvi colocar a mochila nas costas e partir pros EUA. Fui aceito na Joe Kubert School of Cartooning and Graphic Arts, conheci muita gente lá. Conversei horas com o próprio Joe! Mas não tive como arcar com a anuidade do curso e do dormitório e acabei ficando um temponos States, fazendo freelas como ilustrador. Quem me deu a dica de criar uma comic strip foi o Neal Adams, quando viu trabalhos que eu fiz adaptando letras da MPB para meus alunos aqui em Salvador. Voltei ao Brasil e, no ano seguinte, surgiu o Lucas e o Fala Menino!”

Fonte: Site “noticias 075

Entrevista de Luis Augusto para site da Oficina HQ

Ele criou o Fala Menino Produções. Esta, além de lançar suas diversas publicações, é a produtora que  realiza a parti de hoje o Festival de Quadrinhos em parceria com a Multi(Produtora), no Salvador Shopping (Salvador Bahia).
Mas antes de começar a produção com seu personagem mais conhecido, Luis Augusto fez diversas outras atividades.
Formou-se em Arquitetura e Urbanismo, trabalhou arte-educação em escolas da Bahia, trabalhou com ZIRALDO, fazendo histórias para a revista O Menino Maluquinho, da Editora Abril, e publicou, em 1989, a tira LIU E O MÁGICO DO SOBACO, no Jornal A Tarde (Bahia).

Confira uma das perguntas que Luis Augusto respondeu ao site da Ação Cultural Oficina HQ. A entrevista disponível na íntegra, no site a partir de hoje,  foi primeiramente transformado num livro digital gratuito disponibilizado na Grioti livros digitais:

Oficina HQ: Todos sabem que você já lançou diversos livros do Fala Menino e outros personagens abordando o universo infantil. Você já tem uma estrada, uma identidade. Por isso, antes de falar dessa trajetória, eu gostaria que você falasse um pouco de como foi a sua busca pra trabalhar com quadrinhos antes de se “encontrar” com o Fala Menino.

Luis Augusto: “Eu mal tinha entrado na faculdade de Arquitetura da Ufba, qdo conheci o Ziraldo e apresentei a ele meu portifólio. Ele me chamou pra fazer parte da equipe da Zappin. Claro que fui. Coloquei a mochila nas costas e aluguei um quartinho no Rio. Fiquei 6 meses aprendendo a desenhar o menino da panela na cabeça, vendi roteiros mas acabei voltando para concluir meu curso aqui em Salvador. Não acreditava que houvesse espaço, mercado para quadrinhos e, de repente, meu destino na prancheta era mesmo desenhar projetos de casas ou coisas assim… Depois de idas e vindas, enquanto trabalhava como arte-educador em escolas de Salvador, ganhei uma menção honrosa num concurso de quadrinhos da Academia Brasileira de Artes, em São Paulo. Com esse estímulo, resolvi colocar a mochila nas costas e partir pros EUA. Fui aceito na Joe Kubert School of Cartooning and Graphic Arts, conheci muita gente lá. Conversei horas com o próprio Joe! Mas não tive como arcar com a anuidade do curso e do dormitório e acabei ficando um temponos States, fazendo freelas como ilustrador. Quem me deu a dica de criar uma comic strip foi o Neal Adams, quando viu trabalhos que eu fiz adaptando letras da MPB para meus alunos aqui em Salvador. Voltei ao Brasil e, no ano seguinte, surgiu o Lucas e o Fala Menino!”

Se quiser conferir a entrevista completa, visita o site da Oficina HQ (www.oficinahq.com) e clica no link “entrevistas”.

:: Oficina HQ

 

Salvador sedia Festival de Quadrinhos

Maurício de Souza, que estará no I Festival Anual de Quadrinhos, em Salvador

Entre os dias 6 e 9 de outubro, no Salvador Shopping, acontece o I Festival Anual de Quadrinhos. O evento, que é uma experiência inédita na Bahia, contará com a presença do cartunista Maurício de Sousa, criador da série “Turma da Mônica”, além do desenhista Luis Augusto, autor do “Fala Menino!”, e de diversos artistas do país.

Com objetivo de difundir os quadrinhos nacionais, em especial a produção baiana, a programação do evento inclui, além dos bate-papos com autores, lançamento de livros, exposições, oficinas e shows.

O I Festival Anual de Quadrinhos é uma iniciativa da Multi Planejamento e da Fala Menino Produções, que também estão à frente do I Salão de Humor da Bahia, evento que promove, no dia 22 de setembro, também no Salvador Shopping, uma exposição com 45 obras, entre tiras, cartuns e charges.

Fonte: Jornal A Tarde

Os cartunistas Flávio Luiz (Áu, O Cabra), Luis Augusto (Fala Menino) e Wilton Bernardo (Oficina HQ) em livro digital grátis!


A Ação Cultural Oficina HQ em parceria com a GRIOTI (livraria exclusivamente digital) criou um livro digital para comemorar o dia nacional dos quadrinhos em 30 de janeiro deste ano. O livro estava disoponível no blog da livraria, ma a partir de hoje, qualquer um pode acessar a livraria e encontrá-lo nas prateleitas virtuais. A diferença é que o livro que reúne além de um artigo de Wilton Bernardo, entrevistas do Flávio Luiz (criador do “Aú, o capoeirista” e “O Cabra”), Luis Agusto (criadir do “Fala Menino”).

Arte de FLávio Luiz, criador dos sucessos "Áu, o capoeirista", "O Cabra", "Rota 66", entre muitos outros trabalhos excelentes.

O livro digita promocional “Artigo e Revistas da Oficina HQ” pode ser lido por diversos suportes (iPad, iPod, iPhone, notebook, eBook Reader e PC), bem como todo o acervo da livraria.

Luis Augusto, criador do Fala Menino, mestre na sesibilidade dos temas infantís, com diversas publicações no mercado.

Essa parceria promete e já se conversa possibilidades de lançamentos para serem comercializados ainda em 2001. Já existe um projeto que logo se tornará público e diversos artistas e roteiristas poderão se inscrever.

A comercialização de livros digitais pela GRIOTI já é uma realidade. A livraria já possui conteúdo em diversas categorias, e com certeza a parceria com a Oficina HQ vai gerar muitos trabalhos gráficos!

Oficina de Quadrinhos no Engenho Velho da Federação, um dos bairros populares da cidade de Salvador que em 2010, através do projeto Oficina HQ Itinerante apoiado pelo Fundo de Cultura da Bahia, recebeu gratuitamente equipe da Oficina HQ (Talyta Almeida, produtora; Lucas Pimenta, oficineiro; Wilton Bernardo, coordenador)

Se você é cartunista ou roteirista, prepare logo algo pra mostrar, pois oportunidades surgirão ainda neste primeiro semestre!

Baixar o livro gratuíto

:: Oficina HQ
www.oficinahq.com