Marvel planeja série de televisão no universo de Os Vingadores

Imagem ilustrativa

 

De acordo com o site Deadline, a Disney e a Marvel estão procurando capitalizar mais em cima do sucesso de Os Vingadores. Além das continuações para o cinema, está sendo estudado também um seriado para a televisão.

O estúdio está conversando com o canal ABC, que também pertence ao grupo Disney, para fazer uma série dramática que se passa no mundo do grupo de heróis da Marvel. A conexão com os longas-metragens seriam leves, pois, apesar de as histórias terem alguns temas parecidos, não trariam qualquer personagem da adaptação cinematográfica.

O projeto ainda está nas conversas iniciais, explorando as possibilidades do que a série poderia mostrar. Uma delas é que o seriado seja policial.

Hulk também está sendo desenvolvido para a televisão, sob supervisão de Guillermo Del Toro. O plano é que o episódio-piloto seja exibido na temporada 2013-2014.
Fonte: Universo HQ

Publicidade:
_______________________________________________________

A criação do HULK digitalmente para o filme “Os Vingadores”

Hulk roubou a cena em “Os Vingadores” da Marvel e muito disso tem a ver com o trabalho minucioso sobre os efeitos especiais. Saiba tudo sobre ele através deste vídeo.
_____________________________________________________________

Hulk stole the show in Marvel’s the Avengers and a lot of that has to do with the meticulous work on the special effects. Learn all about it via this link from the MediaFreaks 3D Animation Studio Blog.

Fonte: Mediafreaks Blog Estúdio de Animação 3D

Festejado pelos fãs, Hulk puxa o grande sucesso de Os Vingadores

Já foi assistir a Os Vingadores – The Avengers, o filmaço de Joss Whedon? Deve ter ido, sim, afinal a saga do grupo de super-heróis da Marvel já é o longa-metragem mais visto no Brasil, com arrecadação de R$ 104,5 milhões, passando Tropa de Elite 2 (2010) e Avatar (2009). No mundo,  ele já ocupa a quarta posição dos filmes mais vistos de todos os tempos, com US$ 1,184 bilhão de bilheteria.

Pois bem, se já esteve no cinema, torcendo pelos mocinhos poderosos, reparou na excelente caracterização dos paladinos. Em especial o Hulk de Mark Ruffalo. Gente, o que é aquilo? O Verdão é tão bem realizado que rouba a cena até do já consolidado Homem de Ferro de Robert Downey Jr., que, reza a lenda, recebeu bons US$ 50 milhões para vestir a armadura do bilionário Tony Stark.

É a redenção do alter ego do cientista Bruce Banner, apresentado no cinema com pouca justiça em outros dois momentos, embora vivido por atores de substância dramática, como Eric Bana (Hulk/ 2003) e Edward Norton (O Incrível Hulk/2008).

Claro que muito se deve ao talento do nerd Joss Whedon, que assina roteiro e direção do filme. Mas, sem a delicadeza low profile de Mark Ruffalo para compor o popular personagem no tom certo, os fãs não estariam tão satisfeitos.
Sensível O ator americano de 44 anos, casado há oito, pai de três meninas, tem a sutileza ideal para atingir as nuances de seu personagem, um cientista brilhante que, atingido por raios gama, desenvolve um alter ego monstruoso, desencadeado quando há descontrole emocional. Seu Hyde pessoal é um gigante verde de três metros, com selvageria suficiente para dar cabo de boa parte da civilização.
Ruffalo o interpreta dosando culpa, infelicidade, cinismo e um ódio – o tempo inteiro refreado – pelo exílio afetivo compulsório. No filme, pratica filantropia na Índia, na esperança de adquirir bom carma para compensar barbaridades de outros tempos.

A compreensão do ator sobre o personagem também ajuda muito: “Mais velho, Bruce Banner chegou a um ponto em que conseguiu finalmente fazer as pazes com seus demônios interiores, sabe mais completamente quem ele é. Os gregos acreditavam que, quando uma pessoa tinha um acesso de fúria, ela estava sendo possuída pelos deuses. Trabalhamos com essa ideia, de quem Bruce Banner era, o que ele perdia e o que mantinha quando se transformava no Hulk”.
Continuidade 
O resultado foi tão positivo que o ator assinou um contrato para seu Hulk aparecer em mais seis filmes da Marvel, incluindo aí possíveis continuações de Os Vingadores, um solo do Verdão (ambos serão lançados em 2015) e, quem sabe, até um crossovers – aqueles duelos comuns de heróis.

“A experiência foi incrível, eu me diverti muito fazendo o Hulk. O filme é empolgante, bem escrito e tem humor. Não é uma coisa barata, sabe? O humor casa perfeitamente com os personagens”, opina Mark Ruffalo, que fez toda a atuação do Hulk usando um traje de captura de movimento – no set, antes, durante e depois das filmagens.

Por isso, o monstro é tão real, tem sua humanidade preservada não só nos movimentos mas também na expressão facial. Não parece descolado do filme quando aparece, como nos anteriores.  Esse humor citado por Ruffalo, por exemplo, é um ganho.  Quer testar? Pergunte a seus amigos quais as cenas mais legais de Os Vingadores. Pode esperar como resposta pelo menos três ou quatro com Hulk. Fica a dica: a que ele surra Loki (Tom Hiddleston) é para se guardar da memória.

Brasil 
Criado em 1962 por Stan Lee (texto) e desenhado por Jack Kirby (1917-1994), Hulk apareceu pela primeira vez no Brasil na revista Super X, da Editora Ebal, lançada no ano de 1966 como parte da campanha promocional dos chamados Super-Heróis Shell, com distribuição gratuita nos postos de gasolina. Ele dividia a cena com outro super-herói: Namor, o Príncipe Submarino.

A primeira vez que o Hulk teve uma revista própria e com seu nome foi em 1972, na Editora GEA. Em 1975, a Bloch  lançou uma HQ só dele, republicando as primeiras aventuras. Daí, pulou para a RGE no início dos 80 e, em seguida, para a  Abril, que o publicou até a virada do milênio.

Após esse período, tudo o que era da Marvel, no Brasil, passou a sair pela gigante Panini. Mas, agora, o Verdão não tem revista própria. Tomara que, com esse hype todo, ele recupere sua HQ

Fonte: Jornal CORREIO (Doris Miranda doris.miranda@redebahia.com.br )

MARVEL DISPONIBILIZA 268 HQs PARA LEITURA ONLINE

 

Homem-Aranha, X-Men, Quarteto Fantástico, Hulk, Capitão América, Homem de Ferro, Thor e mais outros 5 mil personagens de HQs, que fizeram parte da imaginação de grande parte do mundo, estão disponíveis gratuitamente na internet.

A editora americana Marvel disponibilizou 268 títulos, de seu vasto acervo de histórias em quadrinhos online. Uma mistura de edições antigas e mais recentes. Entre a lista de edições estão clássicos como Capitão América e Os Vingadores; e raridades como a Amazing Fantasy #15, de 1962, e a HQ de estréia do Homem-Aranha.

Link de acesso ao conteúdo: http://migre.me/90fUi

Marvel Comics ganha processo contra herdeiros de Jack Kirby

A juíza federal de Nova York, Colleen McMahon, da corte distrital dos Estados Unidos, declarou que os personagens e as histórias criados por Jack Kirby para a Marvel Comics foram feitos como trabalhado contratado, dentro do que está estabelecido na Lei de Direitos Autorais de 1909. Portanto, sua autoria não pode ser revertida para os herdeiros do desenhista.

A determinação se a produção de quadrinhos de Jack Kirby para a Marvel Comics foi ou não resultado de trabalho contratado (work for hire) era um elemento fundamental para ambas as partes e para a continuidade do processo. De acordo com a lei de direitos autorais estadunidense, os herdeiros só poderiam readquirir seus direitos caso o trabalho não tivesse sido contratado pela editora.

Marc Toberoff, o advogado que defende os herdeiros de Jack Kirby (e que também representa a família Siegel no processo pelos direitos do Superman, contra a DC Comics) disse que pretende apelar da decisão.

O processo movido pelos herdeiros de Kirby (os quatro filhos, Neal, Lisa, Barbara e Susan Kirby; e os dois netos do artista, Jeremy e Tracy) contra a Marvel Comics (que hoje pertence à Walt Disney Company) visava o término da cessão de direitos existente dos personagens criados ou cocriados pelo desenhista (dentre eles: Quarteto Fantástico, X-Men, Homem de Ferro, Homem-Aranha, Hulk, Thor, Vingadores, Nick Fury e Homem-Formiga), a maioria deles entre 1958 e 1963.

McMahon fez questão de frisar que sua decisão é bastante específica é não reflete sobre outras questões, como se Kirby foi tratado de maneira justa e legal pela Marvel Comics; ou se ele é autor ou apenas coautor – junto com Stan Lee – de diversas histórias e personagens.

O único fato decidido pela juíza é que o que Jack Kirby produziu para a Marvel Comics está dentro do escopo legal do que é definido como trabalho contratado (work for hire). Nada mais. A luta pela reversão dos direitos autorais sobre os personagens de Jack Kirby está longe de terminar.

Jack Kirby faleceu em 6 de fevereiro de 1994, e sua esposa Rosalind, em 1998.

Fonte: Universo HQ

Os melhores filmes de super-heróis de todos os tempos

Batman: o cavaleiro das trevas – 2008

Christopher Nolan dá a este novo filme da saga ‘Batman’ uma versão surpreendente. E como um fato curioso, Heath Ledger ganha um Oscar póstumo pelo fantástico desempenho como o Coringa.

O MSN fez uma lista com 30  filmes que cinéfilos e apaixonados por quadrinhos  não pode deixar de ver. Batman esta na lista, porém você não deve deixar de conferir todos os outro. Veja  clicando AQUI.

Fonte: MSN