‘Os Vingadores’ reúne heróis, forte elenco e efeitos visuais

Os Vingadores - Estreia em 27 de abril 2012

Uma reunião de super-heróis – conte na lista O Incrível Hulk, Capitão América, Homem de Ferro e Thor -, interpretados por um elenco de peso, que tenta salvar a Terra de um inimigo inesperado. É isso – e muitos efeitos especiais – que promete o filme Os Vingadores, escrito e dirigido por Joss Whedon, que estreia em 27 de abril

No longa, Nick Fury (Samuel L. Jackson), diretor da agência S.H.I.E.L.D., recruta super-heróis de todas as partes do mundo após a ameaça de Loki (Tom Hiddleston) contra o planeta. Entre eles, estão a Viúva-Negra (Scarlett Johansson), Tony Stark, também conhecido como Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), O Incrível Hulk (Mark Ruffalo) e Capitão América (Chris Evans). O último acaba liderando o grupo nas horas críticas. Em entrevista aoTerra na manhã da última terça-feira (10), Chris disse não acreditar que exista um protagonista na trama. “Eu acho que o Capitão América acaba sentindo mais que os outros por ser de fora, já que ele está distante de sua própria época”, afirmou Chris (o personagem criado durante a Segunda Guerra Mundial passa décadas enterrado no gelo e acorda nos dias atuais).

O intérprete do Capitão comentou a química dos atores principais em cena, que acaba ficando visível no resultado final. Segundo o ator, a maioria já se conhecia de filmes anteriores (Scarlett e Downey atuaram juntos em Homem de Ferro, por exemplo), e o relacionamento amistoso só aumentou no set. “Nós nos demos muito bem”, afirmou.

Compensando o roteiro clássico e pouco original, o longa abusa de cenas de ação e efeitos. Para se preparar o papel, Chris contou com o apoio de treinadores. Alguns, como Chris Hemsworth, Jeremy Renner e Tom Hiddleston, que interpretam Thor, o Gavião Arqueiro e o antagonista Loki, respectivamente, tiveram aulas de diferentes estilos de luta, que iam do medieval ao kung fu e wushu. “Teve bastante treinamento. E cuidado para não se machucar”, explicou ele, que está em passagem-relâmpago no País para divulgar o filme e deseja voltar para visitar com calma.

Acostumado a encarnar super-heróis – antes de Capitão América e Os Vingadores, esteve no elenco de O Quarteto Fantástico como Tocha Humana -, Chris confessa que as histórias em quadrinhos não eram presentes na sua infância, mas que as leu para interpretar os personagens. Ele está feliz (e confiante) como o super soldado no filme. Tanto é que espera uma continuação. “Eu tenho um palpite que haverá continuação. Não é certeza, precisamos esperar para ver o resultado do primeiro, mas eu anteciparia que sim”.

Os Vingadores

Além de ação, o filme da Marvel baseado em histórias em quadrinhos criada por Stan Lee e Jack Kirby também investe nas piadas, forçadas em algumas ocasiões. Um dos destaques do filme é a interpretação de Robert Downey Jr., na pele do excêntrico bilionário egocêntrico Tony Stark. Robert revive o Homem de Ferro, dando ao personagens boas doses de um humor sarcástico que funciona e rouba a cena. Sem muitas surpresas mas com ingredientes certos para filmes do tipo, Os Vingadores deve agradar fãs de filmes de ação e, é claro, de HQs.

Fonte: portal TERRA

Marvel Comics ganha processo contra herdeiros de Jack Kirby

A juíza federal de Nova York, Colleen McMahon, da corte distrital dos Estados Unidos, declarou que os personagens e as histórias criados por Jack Kirby para a Marvel Comics foram feitos como trabalhado contratado, dentro do que está estabelecido na Lei de Direitos Autorais de 1909. Portanto, sua autoria não pode ser revertida para os herdeiros do desenhista.

A determinação se a produção de quadrinhos de Jack Kirby para a Marvel Comics foi ou não resultado de trabalho contratado (work for hire) era um elemento fundamental para ambas as partes e para a continuidade do processo. De acordo com a lei de direitos autorais estadunidense, os herdeiros só poderiam readquirir seus direitos caso o trabalho não tivesse sido contratado pela editora.

Marc Toberoff, o advogado que defende os herdeiros de Jack Kirby (e que também representa a família Siegel no processo pelos direitos do Superman, contra a DC Comics) disse que pretende apelar da decisão.

O processo movido pelos herdeiros de Kirby (os quatro filhos, Neal, Lisa, Barbara e Susan Kirby; e os dois netos do artista, Jeremy e Tracy) contra a Marvel Comics (que hoje pertence à Walt Disney Company) visava o término da cessão de direitos existente dos personagens criados ou cocriados pelo desenhista (dentre eles: Quarteto Fantástico, X-Men, Homem de Ferro, Homem-Aranha, Hulk, Thor, Vingadores, Nick Fury e Homem-Formiga), a maioria deles entre 1958 e 1963.

McMahon fez questão de frisar que sua decisão é bastante específica é não reflete sobre outras questões, como se Kirby foi tratado de maneira justa e legal pela Marvel Comics; ou se ele é autor ou apenas coautor – junto com Stan Lee – de diversas histórias e personagens.

O único fato decidido pela juíza é que o que Jack Kirby produziu para a Marvel Comics está dentro do escopo legal do que é definido como trabalho contratado (work for hire). Nada mais. A luta pela reversão dos direitos autorais sobre os personagens de Jack Kirby está longe de terminar.

Jack Kirby faleceu em 6 de fevereiro de 1994, e sua esposa Rosalind, em 1998.

Fonte: Universo HQ