Festejado pelos fãs, Hulk puxa o grande sucesso de Os Vingadores

Já foi assistir a Os Vingadores – The Avengers, o filmaço de Joss Whedon? Deve ter ido, sim, afinal a saga do grupo de super-heróis da Marvel já é o longa-metragem mais visto no Brasil, com arrecadação de R$ 104,5 milhões, passando Tropa de Elite 2 (2010) e Avatar (2009). No mundo,  ele já ocupa a quarta posição dos filmes mais vistos de todos os tempos, com US$ 1,184 bilhão de bilheteria.

Pois bem, se já esteve no cinema, torcendo pelos mocinhos poderosos, reparou na excelente caracterização dos paladinos. Em especial o Hulk de Mark Ruffalo. Gente, o que é aquilo? O Verdão é tão bem realizado que rouba a cena até do já consolidado Homem de Ferro de Robert Downey Jr., que, reza a lenda, recebeu bons US$ 50 milhões para vestir a armadura do bilionário Tony Stark.

É a redenção do alter ego do cientista Bruce Banner, apresentado no cinema com pouca justiça em outros dois momentos, embora vivido por atores de substância dramática, como Eric Bana (Hulk/ 2003) e Edward Norton (O Incrível Hulk/2008).

Claro que muito se deve ao talento do nerd Joss Whedon, que assina roteiro e direção do filme. Mas, sem a delicadeza low profile de Mark Ruffalo para compor o popular personagem no tom certo, os fãs não estariam tão satisfeitos.
Sensível O ator americano de 44 anos, casado há oito, pai de três meninas, tem a sutileza ideal para atingir as nuances de seu personagem, um cientista brilhante que, atingido por raios gama, desenvolve um alter ego monstruoso, desencadeado quando há descontrole emocional. Seu Hyde pessoal é um gigante verde de três metros, com selvageria suficiente para dar cabo de boa parte da civilização.
Ruffalo o interpreta dosando culpa, infelicidade, cinismo e um ódio – o tempo inteiro refreado – pelo exílio afetivo compulsório. No filme, pratica filantropia na Índia, na esperança de adquirir bom carma para compensar barbaridades de outros tempos.

A compreensão do ator sobre o personagem também ajuda muito: “Mais velho, Bruce Banner chegou a um ponto em que conseguiu finalmente fazer as pazes com seus demônios interiores, sabe mais completamente quem ele é. Os gregos acreditavam que, quando uma pessoa tinha um acesso de fúria, ela estava sendo possuída pelos deuses. Trabalhamos com essa ideia, de quem Bruce Banner era, o que ele perdia e o que mantinha quando se transformava no Hulk”.
Continuidade 
O resultado foi tão positivo que o ator assinou um contrato para seu Hulk aparecer em mais seis filmes da Marvel, incluindo aí possíveis continuações de Os Vingadores, um solo do Verdão (ambos serão lançados em 2015) e, quem sabe, até um crossovers – aqueles duelos comuns de heróis.

“A experiência foi incrível, eu me diverti muito fazendo o Hulk. O filme é empolgante, bem escrito e tem humor. Não é uma coisa barata, sabe? O humor casa perfeitamente com os personagens”, opina Mark Ruffalo, que fez toda a atuação do Hulk usando um traje de captura de movimento – no set, antes, durante e depois das filmagens.

Por isso, o monstro é tão real, tem sua humanidade preservada não só nos movimentos mas também na expressão facial. Não parece descolado do filme quando aparece, como nos anteriores.  Esse humor citado por Ruffalo, por exemplo, é um ganho.  Quer testar? Pergunte a seus amigos quais as cenas mais legais de Os Vingadores. Pode esperar como resposta pelo menos três ou quatro com Hulk. Fica a dica: a que ele surra Loki (Tom Hiddleston) é para se guardar da memória.

Brasil 
Criado em 1962 por Stan Lee (texto) e desenhado por Jack Kirby (1917-1994), Hulk apareceu pela primeira vez no Brasil na revista Super X, da Editora Ebal, lançada no ano de 1966 como parte da campanha promocional dos chamados Super-Heróis Shell, com distribuição gratuita nos postos de gasolina. Ele dividia a cena com outro super-herói: Namor, o Príncipe Submarino.

A primeira vez que o Hulk teve uma revista própria e com seu nome foi em 1972, na Editora GEA. Em 1975, a Bloch  lançou uma HQ só dele, republicando as primeiras aventuras. Daí, pulou para a RGE no início dos 80 e, em seguida, para a  Abril, que o publicou até a virada do milênio.

Após esse período, tudo o que era da Marvel, no Brasil, passou a sair pela gigante Panini. Mas, agora, o Verdão não tem revista própria. Tomara que, com esse hype todo, ele recupere sua HQ

Fonte: Jornal CORREIO (Doris Miranda doris.miranda@redebahia.com.br )

“Os Vingadores” para nossa alegria!

Depois de apresentar um a um seus super-heróis desde o primeiro “Homem de Ferro” em 2008, os estúdios Marvel finalmente reuniu sua super-equipe no esperado e impressionante “Os Vingadores”, que dá início à temporada primavera-verão hollywoodiana, particularmente rica em superproduções.

“Os Vingadores”, dirigido por Joss Whedon, criador da série “Buffy, a caça vampiros” e roteirista de “Toy Story”, estreia no Brasil, nesta sexta-feira (26/04/12).
O longa-metragem concretiza o sonho de Kevin Feige, copresidente da Marvel Studios e arquiteto do renascimento do cinema de super-heróis da Marvel, desde “Homem de Ferro”, interpretado com sucesso por Robert Downey Jr.

O plano de Feige era ambicioso: fazer cada super-herói da galeria principal – com exceção do Homem-Aranha e X-Men, cujos direitos pertencem a outros estúdios – estrelar seus próprios filmes, antes de reuni-los em uma única superprodução, “Os Vingadores”.

“O maior desafio durante estes anos foi dar vida individual para cada filme, sabendo que tudo levaria ao ‘Os Vingadores'”, declarou recentemente à imprensa em Beverly Hills, durante a apresentação do filme.
“Homem de Ferro” foi seguido por “O Incrível Hulk” (2008), estrelado por Edward Norton, “Homem de Ferro 2” (2010), que introduziu o personagem da Viúva Negra (Scarlett Johansson), “Thor” (2011), interpretado por Chris Hemsworth, e “Capitão América” (2011), incarnado por Chris Evans.

Para “Os Vingadores”, Edward Norton foi substituído por Mark Ruffalo, e Jeremy Renner (“Guerra ao terror”) se juntou ao elenco no papel de Gavião Arqueiro.
“Em 2007, quando fui escolhido para fazer ‘Homem de Ferro’, Kevin (Feige) me disse que o objetivo era ter todos os personagens juntos em um único filme para um projeto sem precedentes”, declarou Robert Downey Jr. “Eu lembro ter ficado nervoso, animado e cético”.
“E então, um dia, o Mark (Ruffalo) apareceu e eu disse: ‘uau!, isso realmente isso acontecer”, contou.
Herói da série de filmes mais popular do grupo, os dois “Homem de Ferro” arrecadaram quase 1,2 bilhão de dólares em receita, e o ator admite que, “em última análise, é mais agradável não levar o filme sozinho”. “Todo mundo está em pé de igualdade em ‘Os Vingadores’, e isso é ótimo”, enfatizou.

Para o diretor Joss Whedon, que também assina o roteiro, “o mais difícil foi a estrutura: como unir tudo isso, como fazer brilhar todos os personagens, como fazer o público passar de um personagem a outro, sentindo-se a cada vez envolvido da mesma maneira”.
A aposta valeu a pena. O roteiro é simples: o superpolicial mundial Nick Fury (Samuel L. Jackson) reúne os super-heróis para derrotar o irmão de Thor, o maléfico Loki, que roubou um cubo com um poder incalculável.

Joss Whedon adorou confrontar esses super-heróis, que lutam para trabalhar em conjunto.
Cheio de surpreendentes efeitos especiais, o filme conseguiu atingir o objetivo definido por seu diretor: “Capturar a essência dos quadrinhos, mas sem esquecer que fazemos um filme e não um desenho animado. É preciso capturar o espírito, mas sem ser um escravo dele”, afirmou.

O sucesso anunciado do filme também deve render cores à Disney, proprietária da Marvel desde 2009, após o fiasco de “John Carter”.

“Os Vingadores” abre a temporada de blockbusters de Hollywood, particularmente rica neste ano com os esperados retornos de Batman, “The Dark Knight Rises”, de Christopher Nolan, e do Homem Aranha, que retoma as origens da história do super-herói, desta vez interpretado por Andrew Garfield.

Fonte: Cineinsite

‘Os Vingadores’ reúne heróis, forte elenco e efeitos visuais

Os Vingadores - Estreia em 27 de abril 2012

Uma reunião de super-heróis – conte na lista O Incrível Hulk, Capitão América, Homem de Ferro e Thor -, interpretados por um elenco de peso, que tenta salvar a Terra de um inimigo inesperado. É isso – e muitos efeitos especiais – que promete o filme Os Vingadores, escrito e dirigido por Joss Whedon, que estreia em 27 de abril

No longa, Nick Fury (Samuel L. Jackson), diretor da agência S.H.I.E.L.D., recruta super-heróis de todas as partes do mundo após a ameaça de Loki (Tom Hiddleston) contra o planeta. Entre eles, estão a Viúva-Negra (Scarlett Johansson), Tony Stark, também conhecido como Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), O Incrível Hulk (Mark Ruffalo) e Capitão América (Chris Evans). O último acaba liderando o grupo nas horas críticas. Em entrevista aoTerra na manhã da última terça-feira (10), Chris disse não acreditar que exista um protagonista na trama. “Eu acho que o Capitão América acaba sentindo mais que os outros por ser de fora, já que ele está distante de sua própria época”, afirmou Chris (o personagem criado durante a Segunda Guerra Mundial passa décadas enterrado no gelo e acorda nos dias atuais).

O intérprete do Capitão comentou a química dos atores principais em cena, que acaba ficando visível no resultado final. Segundo o ator, a maioria já se conhecia de filmes anteriores (Scarlett e Downey atuaram juntos em Homem de Ferro, por exemplo), e o relacionamento amistoso só aumentou no set. “Nós nos demos muito bem”, afirmou.

Compensando o roteiro clássico e pouco original, o longa abusa de cenas de ação e efeitos. Para se preparar o papel, Chris contou com o apoio de treinadores. Alguns, como Chris Hemsworth, Jeremy Renner e Tom Hiddleston, que interpretam Thor, o Gavião Arqueiro e o antagonista Loki, respectivamente, tiveram aulas de diferentes estilos de luta, que iam do medieval ao kung fu e wushu. “Teve bastante treinamento. E cuidado para não se machucar”, explicou ele, que está em passagem-relâmpago no País para divulgar o filme e deseja voltar para visitar com calma.

Acostumado a encarnar super-heróis – antes de Capitão América e Os Vingadores, esteve no elenco de O Quarteto Fantástico como Tocha Humana -, Chris confessa que as histórias em quadrinhos não eram presentes na sua infância, mas que as leu para interpretar os personagens. Ele está feliz (e confiante) como o super soldado no filme. Tanto é que espera uma continuação. “Eu tenho um palpite que haverá continuação. Não é certeza, precisamos esperar para ver o resultado do primeiro, mas eu anteciparia que sim”.

Os Vingadores

Além de ação, o filme da Marvel baseado em histórias em quadrinhos criada por Stan Lee e Jack Kirby também investe nas piadas, forçadas em algumas ocasiões. Um dos destaques do filme é a interpretação de Robert Downey Jr., na pele do excêntrico bilionário egocêntrico Tony Stark. Robert revive o Homem de Ferro, dando ao personagens boas doses de um humor sarcástico que funciona e rouba a cena. Sem muitas surpresas mas com ingredientes certos para filmes do tipo, Os Vingadores deve agradar fãs de filmes de ação e, é claro, de HQs.

Fonte: portal TERRA