Nova coleção trará a obra completa de Laerte


Nova coleção trará a obra completa de Laerte e primeiro volume já está à venda

Laerte Total é o nome de uma nova coleção está chegando com o objetivo de publicar toda a obra da cartunista Laerte Coutinho em mais de 50 anos de carreira.

Ela será produzida em esquema de autopublicação na Amazon KDP (Kindle Distribution Program) com o auxílio da Z Edições, editora especializada em publicações digitais.

Laerte Total – Volume 1 – O Condomínio (formato 21,6 x 27,9 cm, 88 páginas, capa cartonada, R$ 43,28) já está disponível na Amazon Brasil para encomenda da versão impressa, e gratuitamente para leitura digital de usuários Kindle ou por R$ 22,00 para venda.

Os primeiros oito volumes da coleção trarão todas as tiras da série O Condomínio, muitas delas nunca reunidas em coletâneas. Nelas, surgiram personagens como o Zelador, Fagundes, o puxa-saco, o mafioso Don Luigi e os gatos.

Edições seguintes, com periodicidade mensal, trarão outras tiras, cartuns, histórias completas e personagens como Overman e Piratas do Tietê.

Um volume especial número zero reunirá cartuns e quadrinhos da juventude de Laerte, antes da criação da editora Circo, na década de 1980.

Os livros e ebooks estarão disponíveis no site da Amazon e, futuramente, em livrarias especializadas.

As edições em papel são produzidas no sistema Print On Demand, ou seja, são impressos um a um, de acordo com as vendas. Como são impressos nos Estados Unidos, seu preço varia de acordo com a cotação do dólar.

A coleção deve ter mais de 50 volumes. “O print on demand é uma ótima solução para viabilizar coleções como esta”, disse o editor Heinar Maracy. “Sem estoques e sem grandes custos iniciais de produção, é possível colocar toda obra de um artista à disposição dos fãs, sem o risco que um dia ela saia de catálogo”.

A Z Edições já publicou obras de Adão Iturrusgarai, Allan Sieber, Arnaldo Branco e outros autores, em papel e digital. Ela presta serviços editoriais para quem quer autopublicar seus livros em marketplaces digitais, cuidando da editoração, revisão, trâmites burocráticos e marketing, liberando o autor para que ele se concentre em criar.

Fonte: universohq.com (por Samir Naliato)

:: Wilton Bernardo
Coordenador e professor da Ação Cultural Oficina HQ
@oficinahq

Seção TIRINHA: Lá vem dia das mães ai!!!!

Dona Dedé e Nina, criação de Wilton Bernardo

Dia das mães está chegando companheiros! Vamos prestar atenção no presente que se dá. Não faço o tipo comercial e também acho que dia das mães é todo dia. Mas enfim. Uma data como essa ajuda a nos lembrar de estar atento, e valorizar nossas mães.
Enfim, que tiver tirinhas e quiser publicar aqui, é só mandar!
Os melhores autores podem ser convidados a fazer exposição no site da Oficina HQ entre outras possibilidade!

A hora é essa!!

Wilton Bernardo
:: Oficina HQ

Mauricio de Sousa homenageia centenário do Santos com ilustração de Neymar

Para homenagear o Santos Futebol Clube, que no último dia 14 de abril completou 100 anos de fundação, o desenhista Mauricio de Sousa produziu e divulgou na imprensa uma ilustração em que o atacante Neymar posa ao lado da glutona Magali.

O craque do Santos poderá se tornar o novo personagem da Turma da Mônica, de acordo com informações divulgadas no inicio deste ano.

Não há confirmação sobre se o visual da provável versão em quadrinhos do jogador será o mesmo desta ilustração comemorativa.

Fonte: Universo HQ

NECRONAUTA: novidade para cena de HQ nacional

Álbum traz mais histórias de Necronauta, personagem que leva mortos ao além.
Obra é o primeiro trabalho de Danilo Beyruth após o premiado “Bando de Dois”.
Autor lançou “Necronauta – O Almanaque dos Mortos” dia 24/ de setembro, em São Paulo.
A repercussão obtida pelo álbum “Bando de Dois” agregou um previsível destaque ao trabalho seguinte de Danilo Beyruth,  “Necronauta – O Almanaque dos Mortos” (Zarabatana Books, 112 págs., R$ 36), que tem lançamento neste sábado à tarde em São Paulo.

Não é por menos. Lançado em 2010, “Bando de Dois” foi o principal destaque do HQMix deste ano, com três troféus. Também foi selecionado pelo governo para ir às escolas.

O caminho natural seria comparar uma obra à outra. Mas seria também um equívoco. Trata-se de histórias diferentes, com propostas diferentes.

A comparação mais precisa é com o volume anterior do personagem, lançado em dezembro de 2009 pela editora HQM. Quem gostou do primeiro vai gostar deste também.

Necronauta é um personagem secundário em suas próprias histórias. Ele está lá para cumprir a mórbida tarefa de conduzir ao além mortos que tenham algum tipo de pendência.

As tramas são narradas na forma de contos. Bem escritos, como no volume anterior, realçam distintas facetas da vida das pessoas em questão.

Os temas ecléticos passam por um amor deixado para trás, um estado comatório, a perda da fama e um inusitado caso de bullying feito por fantasmas.

O álbum traz sete histórias, uma em duas partes. À exceção de um dos textos, escrito por Hector Lima, todos os demais tem assinatura de Beyruth, que faz a arte também.

Assim como “Bando de Dois”, Necronauta vai na contramão do que o mercado editorial brasileiro tem pautado. Em vez de realismo, ficção. 

Mais: no país onde os super-heróis nacionais sempre ficaram à margem, Beyruth vai e impõe como personagem-título justamente um ser fantasiado, com poderes.

Atitude corajosa, tem ajudado a singularizar a produção do autor. Aliada, claro, aos roteiros bem amarrados e aos desenhos, sempre impressionantes. É autor em franco crescimento.

Crescimento que a Zarabatana Books soube destacar, incluindo os prêmios do autor na contracapa da obra. Quem perdeu foi a HQM, que não soube segurar Beyruth.

Fonte: http://blogdosquadrinhos.blog.uol.com.br/