Módulo 1 – SEGUNDA PARTE

Módulo 1 – SEGUNDA PARTE:
Antes de criar sua HQ ou um Personagem, aprecie criações de outros autores.

Pessoal,
Esta segunda parte eu considero importante existir por 2 razões que vou dizer de forma bem objetiva:

RAZÃO 1: Eu gosto de mostrar/ citar quadrinhos e personagens de variados estilos, variados traços para os alunos no início de uma Oficina ou Workshop que se propões a abordar as etapas de construção de uma HQ, como é nosso caso, agora. E fico feliz quando na lista, há personagens e histórias que tem desenhos que não são considerados “maravilhosos”. Por um motivo simples: Muitos alunos nas Oficinas de Quadrinhos que realizo, costumam atrelar “necessidade de desenhar maravilhosamente bem” com “poder colocar em prática a ideia de criar um personagem e uma história”. É importante entender seu traço, tentar se melhorar sempre. Mas é muito arriscando quando se coloca o trabalho de outra pessoa bem sucedida como parâmetro para se achar pronto o suficiente para produzir. Um desenho “lindo” não garante uma história de quadrinhos ou mesmo um personagem de sucesso.

RAZÃO 2: É importante termos referência sobre aquilo que desejamos produzir (Não é para copiar nem necessariamente se inspirar). É ter um repertório de informação, ver possibilidades, apreciar. Se você quer ser músico, por exemplo, não tem como aprender, e se desenvolver sem apreciar músicas, conhecer trabalhos de outros músicos. Se quer dirigir um filme, não faz sentido você se lançar nessa maravilhosa produção sem conhecer outros diretores, e obras feitas por estes.
Vocês podem se perguntar se conhece alguém que produz algo sem se permitir conhecer produções de outros profissionais desta mesma linguagem artística, considerando que o exemplo seja na área de artes.
Eu arrisco dizer uma coisa: É possível sim, uma pessoas que tentam produzir sem conhecer outras obras daquela linguagem sobre a qual quer produzir. Mas o resultado pode ser extremamente fraco, com falhas técnicas primárias. Nós não somos uma ilha e a produção de narrativas gráficas existe há muitos anos. Então, não tem cabimento uma pessoa partir para criar um personagem, uma história em quadrinhos, sem ter lido outras.

E digo mais, meu amigo(a), tente analisar um pouco mais os personagens ou histórias que lhe interessam. Gostou do personagem? Então se arrisque se perguntar: O que me fez gostar dele? Que características mais me interessou nesse personagem? O exercício dessa reflexão vai lhe ajudar a fazer definições futuras sobre o seu personagem.

Nas aulas presenciais eu costumo levar algumas publicações e até alguns arquivos e mostrar. Converso com a turma sobre algumas produções. Assim, alguns podem escolher pesquisar ou comprar uma produção que lhe desperta. Agora, como estamos em quarentena, não tenho o menor interesse em fazer vocês saírem de casa atrás de quadrinho.

ALGUNS TRABALHOS
Por isso antes de publicar a TERCEIRA PARTE do Módulo 1, vou fazer algumas postagens com sugestão de obras (quadrinhos e animes, alguns de acesso gratuito na web, outros não). Claro que alguns de vocês já devem ter personagens que gostam, e produções que acharam interessante. Então, para quem não faz uma leitura de quadrinhos ou não sente que conhece algum personagem o suficiente a ponto de falar sobre ele, de identificar características sociais e psicológicas deste, vale a pena ler o breve comentário e escolher algum(uns) trabalhos para ler ou assistir.
E se você costuma ler muito ou assistir muito apenas um tema, que tal se permitir conhecer algo que possa te interessar, de um estilo diferente do que está habituado?

:: Wilton Bernardo
+ Coordenador e professor da Ação Cultural Oficina HQ
+ Criativo do Estúdio Laço Afro
+ Graduado em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia
http://www.lacoafro.com
@oficinahq
@lacoafro

Por quê se inscrever numa Oficina de Quadrinhos?

marvel-comics-app
“Um jovem com talento para fazer quadrinhos poderia se interessar em aprimorar um dom que possui até se sentir seguro e preparado para galgar uma oportunidade no competitivo mercado norte-americano. Quem sabe, pode conseguir desenhar para uma editora como Marvel, DC Comics e ganhar em dólar!”, poderia ser a resposta mais óbvia, certo?

Talvez eu mesmo tenha tido uma resposta parecida com a descrita acima, quando eu estava divulgando a primeira oficina de quadrinhos que ministraria, em setembro de 2003, exatamente 12 anos atrás.

A verdade é que a resposta que inicia este artigo está longe de esgotar o público tão diverso que minha Oficina de Quadrinhos atinge. Inclusive esta é uma das coisas mais interessantes da Oficina de Quadrinhos: o público tão diverso que atrai.

Profissionais de EAD para implementar a comunicação com os alunos inscritos no curso gerido pela empresa em que trabalham; uma pessoa aposentada precisando exercitar o punho com tempo livre; uma professora que gostaria de entender melhor a ferramenta das histórias em quadrinhos para realizar aulas mais interessantes; artistas plásticos que desejam dominar esta expressão. Jornalistas que desejam dominar e utilizar os quadrinhos como mais um suporte para o jornalismo. Acreditem. Todas as razões acima foram motivos que trouxeram dezenas de alunos para as diversas edições de oficina de quadrinhos, e eu poderia citar uma porção de outras razões.

Por isso, eu sempre digo às turmas que uma das melhores coisas que elas ganham ao participar da oficina é justamente uma turma de colegas (quem sabe futuros amigos) diversa, e por isso interessantíssima. Estimulo que aproveitem os contatos. Aquele é um legado fantástico para todos. Arquitetos, advogados, músicos, publicitários, psicólogos, professores, artistas plásticos, jornalistas. Reunir essas pessoas e poder dialogar com elas faz o conteúdo, as discussões e o convívio durante as 25h serem interessantíssimas. E ao final de cada aula, todos desejam fazer o ponteiro parar. O primeiro a desejar isso, com toda certeza sou eu.

:: Wilton Bernardo
Gestor da Oficina HQ – Ação Cultural

Oficina de Quadrinhos tem inscrições abertas

FLY-OFICINA-HQ

Oficina de Quadrinhos tem inscrições abertas

Já estão abertas as inscrições para a nova oficina de Quadrinhos. O conteúdo da oficina amplia as abordagens sobre os recursos narrativos nesta nova edição que acontece no Museu Carlos Costa Pinto durante 10 encontros, aos sábados, a partir de 9 de maio.

Oficina de Quadrinhos
Durante 10 sábados, das 14:40h às 17:10h, serão abordadas as principais etapas de construção de uma história em quadrinhos com ênfase nos recursos narrativos, além de desenho, criação de personagem e roteiro. A oficina que acontece desde 2003 já teve diversas atualizações em seu conteúdo didático e agora tem o material sobre recursos narrativos ampliado. As aulas que serão divididas em teoria e prática, terão 2 ambientes adequados para cada tipo de aula: para aulas práticas, ambiente ao ar livre num pranchão. Para atividades teóricas, o auditório do Museu.

Os professores
Wilson Júnior e Wilton Bernardo serão responsáveis pelo conteúdo das 25 horas de Oficina distribuída em 10 encontros. Ambos graduados pela Universidade Federal da Bahia. Wilson é graduado em Artes Plásticas e Licenciatura em Desenho e Plásticas; Wilton é bacharel em Artes Plásticas e idealizador da Oficina HQ.

A Ação Cultural que é coordenada pelo artista Wilton Bernardo, em seus 12 anos de atividades, já realizou dezenas de oficinas de quadrinhos e de desenho, além de exposições e mostras de filmes.

O que: Oficina de Quadrinhos (para adolescentes a partir de 14 anos e adultos) 
Local: Museu Carlos Costa Pinto – Avenida Sete de Setembro, 2490 – Corredor da Vitória
Horário14:40h às 17:10h

Quando: a partir de 9 de maio  em 10 encontros (9/5 a 18/7/15)
Investimento: 3X de R$ 150 ou R$ 450
Inscrições e informações: Wilton Bernardo (71) 9305-9093 (Tim/whatsapp) e oficinahq@hotmail.com